Tamanho do texto

Com os cortes, banco pretende aumentar sua base de clientes e ter terceira maior carteira de crédito do país até o final do ano

Caixa corta juros para ampliar sua base de clientes
Divulgação
Caixa corta juros para ampliar sua base de clientes
A Caixa Economica Federal anunciou nesta segunda-feira um programa de corte nas taxas de juros de cheque especial, cartão de crédito e consignado. O objetivo é aumentar a base de clientes e ter a terceira maior carteira de crédito do país até o final do ano e 14% de market share.

Os cortes abrangem produtos voltados para pessoas físicas, micro, pequenas e médias empresas. "A tendência é de juros mais baixos no futuro, então estamos nos reposicionando para enfrentar esse futuro", afirma Jorge Hereda, o presidente da Caixa, que negou haver motivos políticos ou populistas por trás das medidas anunciadas. "Não é uma atitude impensada ou populista. Não vamos operar uma carteira com prejuízo. Estamos trabalhando dentro da margem líquida, reprecificamos os produtos e estamos passando parte dessa margem para os nossos clientes", ressalta.

Leia mais: Banco do Brasil coloca mais R$ 43 bi em linhas de crédito

Os maiores cortes foram registrados nos juros do cheque especial e do cartão de crédito. No primeiro caso, a taxa para os clientes com conta salário cairá de 8,25% ao mês para 3,50% ao mês. Já os demais clientes pagarão juros máximos de 4,27% ao mês, o que significa uma queda de 59%. Em alguns casos, a taxa pode alcançar 1,35% ao mês. Os cortes são retroativos a 2 de abril. As condições se aplicam para antigos e novos clientes, de acordo com a Caixa.

A instituição informou ainda que todas as faixas de cartões de crédito terão juros de apenas um dígito ao mês a partir de abril. No caso do Cartão Azul Caixa - produto novo voltado a clientes que recebem salário no banco -, a taxa mínima caiu 87,7%, passando de 12,86% para 2,85% ao mês. Já os três cartões de crédito mais utilizados por clientes da instituição - Nacional, Internacional e Gold - tiveram queda de cerca de 40%, com taxas que variam de 7,70% a 9,47%, frente à média de 13,78% praticada pelo mercado.

Mais : Caixa reduz juros em suas linhas de crédito

"As medidas não são só para os vips. Todo mundo vai ter acesso a esses benefícios. Vamos ajudar a população com nível alto de endividamento a alongar suas dívidas e fazê-las caber no orçamento", diz Hereda.

Os cortes abrangem ainda os juros no Crédito Direto Caixa, cujas taxas variam de 2,47% a 3,88%, e o consignado, com taxa mínima de 0,84% para os pensionistas do INSS, com prazo de um a seis meses. Outro dois produtos para pessoa física incluídos no pacote são antecipação do Imposto de Renda e Financiamento de Veículo. No caso de cheque especial e cartão de crédito, a adesão dos clientes às novas taxas de juros será automática. Nos demais, será preciso renegociar os contratos com a taxa nova.

Apesar dos anúncios, a grande vedete da Caixa, o crédito imobiliário, responsável por 60% da carteira de crédito da insituição, não entra no pacote. "Já trabalhamos com margens muito pequenas no crédito imobiliário. Temos estudos para taxas menores no programa 'Minha Casa, Minha Vida' nas faixas 2 e 3", explica Hereda.

Também : Ações de bancos sofrem com pacotes do BB e da Caixa

Dois programas voltados a micro, pequenas e médias empresas também foram contemplados no anúncio de hoje: Giro Caixa Fácil e Desconto Cheques e Duplicatas. Os juros do Giro Caixa Fácil tiveram queda de 68,7%, de 2,72% para 0,94%. "A ideia é que chegue a 0,90% em junho para as empresas com relacionamento mais próximo da Caixa", explica Hereda. Já o Desconto Cheques e Duplicatas teve corte de 1,72% para 1,25%.

Carteira de crédito

Com as medidas, a Caixa pretende ter a terceira maior carteira de crédito do país, com participação de mercado de 14%, contra as atuais 12,6%. "Nossa carteira de crédito deve crescer mais de 30% este ano", afirma o presidente da instituição, ressaltando que o volume de concessões deve alcançar R$ 300 bilhões, sendo R$ 71 bilhões referentes a produtos do programa anunciado hoje.

O anúncio de redução de juros da Caixa, que já era esperado , acontece uma semana após o Banco do Brasil tomar medidas de redução de juros semelhantes.

Veja também: Banco público corta juros, mas tem cliente de mais risco