Tamanho do texto

Ações lideraram as baixas do Ibovespa novamente, após relator do Cade reprovar fusão Sadia-Perdigão

Conforme esperado por analistas , as ações da Brasil Foods fecharam em forte queda nesta quinta-feira, repercutindo voto no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) contrário à fusão entre Sadia e Perdigão, que originou a atual empresa listada em Bolsa. Os papéis caíram 3,21%, na maior baixa do Ibovespa, e foram cotados a R$ 25,31. Com essa perda, a sangria da empresa em junho já corresponde a R$ 3,4 bilhões, para R$ 22,063 bilhões. O Ibovespa subiu 0,69% hoje.

Sadia e Perdigão lado a lado em supermercado
AFP
Sadia e Perdigão lado a lado em supermercado
Com um voto que durou mais de quatro horas, o conselheiro relator do Cade no caso, Carlos Ragazzo, votou pela reprovação da união das empresas . Para os analistas, a decisão agregou ainda mais estresse aos negócios nesta quinta-feira, e deixa o mercado em suspenso até 15 de junho. Isso porque o julgamento foi suspenso até essa data, em função do pedido de vista do conselheiro Ricardo Ruiz.

Em relatório desta quinta-feira, o Deutsche Bank comenta o voto do conselheiro e diz: "prepare-se para uma difícil jornada, ou fique de fora". Segundo os analistas do banco, o voto negativo de ontem elevou a probabilidade de uma rejeição da fusão (ou pelo menos de restrições muito mais pesadas. Com isso, as ações devem oscilar bastante nos próximos dias, ao ritmo de qualquer novidade sobre o assunto. "Com  isso, não acreditamos que a queda do dia 8 tenha marcado o piso das cotações."

O Deutsche complementa que, como o mercado reavalia a quantidade anual de sinergias da fusão (e o seu valor presente) sob diferentes cenários (incluindo um sem sinergias no caso mais extremo), não há forma de cálcular, na opinião da instituição, um valor atualizado justo para as ações.

Também em relatório, a SLW comenta que o teor das declarações foi bastante negativo, indicando a possibilidade de uma reprovação total do negócio. "Caso isso ocorra, a companhia deve recorrer à justiça e as ações podem mudar de patamar de negociação. Portanto, estamos recomendando ficar de fora do papel enquanto não conhecermos a decisão final do Cade."

Veja também:

Sob ameaça do Cade, Brasil Foods perde R$ 2,7 bilhões em junho

Em comunicado, BRF elogia suspensão de julgamento no Cade

Em dia de julgamento no Cade, ação da BRF lidera perdas na Bolsa

Fusão Sadia e Perdigão deve parar na Justiça

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.