Tamanho do texto

Segundo maior banco do Brasil abriu oficialmente o pregão da Bolsa de Valores de Nova York nesta terça-feira

O Bradesco, o segundo maior banco do Brasil, abriu oficialmente o pregão da Bolsa de Valores de Nova York para celebrar a emissão de seus novos American Depositary Receipts (ADRs), que começaram a ser cotados nesta terça-feira nesse mercado.

O vice-presidente da entidade financeira, Antonio Bornia, foi o encarregado de badalar os sinos da cerimônia que marca a cada manhã o início das operações da bolsa. Em Wall Street o Bradesco é grafado pela sigla de BBD há mais de uma década.

A partir desta terça-feira, os investidores poderão adquirir os novos ADRs, negociados por meio do símbolo BBDO, cada um equivalente a uma ação comum do banco. Os ADRs são instrumentos financeiros exigidos das entidades estrangeiras para inscrever suas ações na bolsa nova-iorquina.

Os novos ADRs do Bradesco, que iniciaram cotados a US$ 16 cada, desciam 1,81% duas horas após o início da sessão em Wall Street, sob o valor de US$ 15,71. "Bradesco está lançando ADRs respaldadas por ações comuns em uma tentativa de ampliar as alternativas de acesso aos investidores estrangeiros", explicou em comunicado o banco brasileiro, que detalhou que este lançamento não representa nem uma ampliação de capital nem a emissão de novas ações.

Segundo a documentação apresentada no ano passado para solicitar este novo programa de ADRs na Bolsa de Nova York, o banco pretendia com este ampliar de 14% para 45% a participação estrangeira no capital com direito a voto da instituição.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.