Tamanho do texto

Banco informa que valor deve ser "suplantado", já que de janeiro a setembro carteira imobiliária soma R$ 6,8 bilhões

O banco Bradesco deve superar suas previsões de emprestar R$ 7,5 bilhões em crédito imobiliário neste ano. Domingos Abre, vice-presidente de relações com investidores do banco, afirma que até setembro a carteira imobiliária do banco somou R$ 6,8 bilhões. “Os R$ 7,5 bilhões devem ser suplantados”, avalia o executivo. No inicio do ano, a projeção do Bradesco era conceder R$ 6,5 bilhões neste ano.

De acordo com os dados de Abreu, somente no terceiro trimestre, o Bradesco financiou 16.828 unidades habitacionais. No acumulado deste ano, o volume salta para 47.827. Ele afirma que a instituição não terá problemas de “funding” para bancar uma possível expansão do crédito imobiliário, já que conta com recursos da caderneta de poupança para custear o crédito imobiliário.

A carteira de crédito total do banco chegou ao final de setembro em R$ 270,68 bilhões, com alta de 19% sobre os R$ 227,55 bilhões do mesmo mês de 2009. O Bradesco trabalha com o conceito “carteira expandida”, que leva em conta debêntures e notas promissórias, títulos de dívidas de empresas, adquiridas pela área comercial do banco. “Assim, enquadramos esses títulos como operações de crédito”, diz Abreu. Segundo ele, do aumento da carteira em relação a setembro de 2009, R$ 26 bilhões foram tomados por pessoas físicas e empresas que nunca haviam pego empréstimo no banco.

A maior alta no crédito no terceiro trimestre veio das operações para micro, pequenas e médias empresas, com uma carteira total de R$ 77,14 bilhões até setembro e aumento de 27,6% em relação ao terceiro trimestre do ano passado. O banco considera pequenas as empresas com faturamento anual de até R$ 30 milhões. No midle market estão as que faturam entre R$ 30 milhões e R$ 250 milhões, enquanto grandes são as que faturam mais de R$ 250 milhões anuais. As operações de crédito para estas últimas tiveram expansão de 7,6%, chegando a R$ 85,57 bilhões.

Previsão

A expectativa do executivo é de que a carteira total de crédito tenha um crescimento entre 15% e 20% em 2011. Abreu afirma que esses percentuais levam em conta as previsões da área econômica do banco de expansão entre 15% e 16% para o credito total no País no ano que vem.

Para este ano como um todo, a projeção do Bradesco para a carteira de crédito é de um aumento entre 21% e 25%. As pessoas físicas devem responder por um crescimento estimado entre 16% e 20%. As micro, pequenas e médias empresas devem dar a maior contribuição para a expansão, já que a instituição prevê uma expansão nos financiamentos de 28% a 32%.

O Bradesco divulgou hoje o balanço do terceiro trimestre. O banco obteve um lucro líquido ajustado de R$ 2,5 bilhões, quase 39,3% acima do R$ 1,795 bilhão dos mesmos meses do ano passado. O retorno anualizado sobre os ativos foi de 24,4% no trimestre. Segundo informações do banco, os ativos totais eram de R$ 611,9 bilhões ao final do trimestre. O índice de inadimplência referente aos pagamentos com atrasos superiores a 90 dias fechou o período em 3,8%, bem abaixo dos 5% de setembro de 2009.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.