Tamanho do texto

Acordo possibilitará acesso do cartão a uma parte do 1,7 milhão de estabelecimentos integrantes da rede Cielo no País

O Banco Bradesco aproveitou a abertura de mercado do setor de cartões de crédito para anunciar ao mercado o acordo entre seu cartão American Express e a credenciadora Cielo. Com isso, os cartões da marca que necessitavam de uma maquininha POS exclusiva, começam a ser aceitos nos equipamentos da Cielo.

Marcelo Noronha, diretor de cartões do Bradesco, afirma que a expectativa do banco é ampliar a rede credenciada que aceita Amex. “Fechamos o acordo ontem. As mudanças do mercado geraram uma perspectiva positiva”, afirma. As mudanças a que ele se refere são o fim da exclusividade entre a bandeira internacional Visa com a credenciadora Cielo, que acabou hoje num ato da auto-regulação do setor, estimulada por um estudo do Banco Central, e dos ministérios da Fazenda e Justiça sobre o setor, divulgado no ano passado. A partir de agora, todas as POS (point of sale, em inglês) passarão a aceitar todos os cartões de débito e crédito.

O executivo conta que há pouco mais de 400 mil estabelecimentos comerciais credenciados para o uso do Amex. Quando o banco comprou a marca no Brasil, em 2006, eram pouco menos de 400 mil. Ele lembra que a rede da Cielo tem 1,7 milhão de credenciados. “Claro que não fecharemos acordo com 100% da rede, porque o American Express é um cartão diferenciado, mas nossa expectativa é acertar com uma grande parcela num período curto.” Ele não fala em números.

O Bradesco comprou a American Express em março de 2006, após dois anos de negociações, por US$ 490 milhões. Na época, a empresa tinha 1,2 milhão de plásticos no mercado, responsáveis por um volume de operações de R$ 8,9 bilhões no ano anterior. Noronha não revela os números atuais. Citando dados do Banco Central, diz que o Bradesco detém 3,3% do mercado brasileiro de cartões de débito e crédito. Somente em crédito, sua participação é superior a 5%. Além do Amex, cartão no qual o Bradesco atua como emissor e adquirente, o banco também trabalha com os cartões Visa e Mastercard, nesses casos apenas como emissor.

Questionado se o Bradesco fará também acordo semelhante com a Redecard para o uso do cartão Amex em suas máquinas, Noronha não descarta nem confirma. “Nós vamos avaliar outras alternativas se acharmos conveniente.” Ele ressalta, no entanto, que o Bradesco detém 28,6% do capital da Cielo, o que indica que o banco não dará muito espaço para um concorrente direto.

Cartão Elo

O Bradesco anunciou em maio uma parceria com o Banco do Brasil para recriar a marca Elo no Brasil. Será uma bandeira nacional, para concorrer com Visa e Mastercard. Noronha afirma que o planejamento da operação está dentro do cronograma anunciado. “O plano do cartão é ter uma participação de mercado superior a 10% nos próximos cinco anos”, diz.

O executivo do Bradesco diz não ter uma data para a chegada do Elo no mercado, mas afirma que os seis meses de prazo anunciados devem ser cumpridos, o que leva a crer que a bandeira estará pronta até novembro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.