Tamanho do texto

Bolsas dos EUA seguem indefinidas. Dia no Brasil é de vencimento de Ibovespa futuro, o que traz volatilidade

Depois de ter iniciado os negócios com leve valorização, o Ibovespa inverteu o rumo no pregão desta quarta-feira e passou para o campo negativo. Com este desempenho, o índice interrompe uma sequência de quatro altas seguidas, quando acumulou ganho de 2,73%.

Às 12h30, o principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) caía 0,54%, cotado em 67.222 pontos. Ontem, o Ibovespa avançou 1,32%, somando 67.583 pontos. Nesta jornada, acontece o vencimento do Ibovespa futuro. O contrato de agosto será liquidado e a referência passará a ser outubro.

Em Wall Street, os sinais estão indefinidos. Apesar da sinalização positiva dos índices futuros, o mercado abriu os negócios em baixa. Instantes atrás, o índice Dow Jones caía 0,26%, mas Nasdaq subia 0,09%.

Esta quarta-feira conta com uma agenda esvaziada de indicadores econômicos. Entre os poucos dados divulgados, o levantamento da Mortgage Bankers Association (MBA) revelou que os pedidos de empréstimos imobiliários no mercado americano cresceram 13% na semana encerrada em 13 de agosto, com ajuste sazonal.

Hoje, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva reúne-se, às 15 horas, com o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli. Há expectativa de que no encontro sejam discutidos os pilares para o processo de capitalização da companhia. Amanhã, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) deve receber o trabalho da certificadora contratada para definir o valor do barril de petróleo que será usado como referência na cessão onerosa de 5 bilhões de barris que a União fará à Petrobras, cumprindo uma das etapas do processo.

Outra notícia aguardada é a da possível venda de ativos das empresas de Eike Batista. O jornal chinês 21st Century Business Herald informou hoje que as companhias petroleiras chinesas China Petrochemical (Sinopec) e a China National Offshore Oil Corp (Cnooc) mantêm negociações separadas com a OGX Petróleo e Gás para adquirir uma participação de 20% no campo de petróleo offshore (no mar) na Bacia de Campos.

No início do mês, o empresário disse que poderia vender até 30% de suas descobertas offshore na bacia. Ele admitiu ainda conversas com vistas à venda de ativos da MMX e da LLX. No exterior, a recuperação ensaiada ontem perdeu força. Hoje, as principais praças financeiras têm sinais mistos, diante da ausência de um indicador que oriente os negócios.

O dólar comercial caía 0,12%, cotado em R$ 1,7533 para venda.

(com Agência Estado e Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.