Tamanho do texto

Dólar caiu mais uma vez e marcou novo recorde de baixa, a R$ 1,68

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) voltou ao patamar dos 70 mil pontos após pouco mais de cinco meses. O Ibovespa - principal índice da Bolsa - subiu 1,14%, cotado em 70.229 pontos, maior nível desde 15 de abril, quando encerrou em 70.524 pontos.

Passada a volatilidade que pontuou os negócios na primeira etapa do pregão, as bolsas do Brasil e dos Estados Unidos subiram. Apesar do forte desempenho da indústria chinesa em setembro e de os indicadores americanos terem superado as estimativas dos analistas, o mercado mostrou um pouco de hesitação durante o pregão, de olho ainda na lenta recuperação da economia dos Estados Unidos. Além disso, no Brasil, o Ibovespa enfrentou certa resistência nos 69 mil pontos.

Mas o índice brasileiro superou a barreira e ultrapassou os 70 mil pontos. A alta na semana foi de 2,98%. Em Wall Street, o índice Dow Jones subiu 0,39% e o Nasdaq teve ganho de 0,09%.

Hoje, a China mais uma vez trouxe boas notícias, ao anunciar o aumento do índice de atividade industrial para 53,8 em setembro, de 51,7 em agosto. A expansão econômica do gigante asiático permanece robusta, apoiada nas forças do mercado, e não mais em políticas de estímulo. Os números chineses geram ganhos nos mercados financeiros, sobretudo nas commodities (matérias-primas), com petróleo de volta à marca de US$ 80 o barril.

A agenda econômica nos EUA também teve indicadores importantes. Em agosto, a renda pessoal no país subiu 0,5% e os gastos dos consumidores norte-americanos cresceram 0,4%.

Fora do Ibovespa, o destaque permaneceu com as ações ON da Estácio Participações, que dispararam 12,16%, a R$ 21,77. As ações da Estácio Participações foram cotadas a R$ 19,00 na oferta pública secundária promovida pelos controladores da companhia. Foram vendidos 32,8 milhões de papéis ordinários, totalizando R$ 623,261 milhões, que irão para o bolso dos acionistas vendedores. A ação saiu com um desconto de 2,1% em relação ao fechamento do papel ontem, de R$ 19,41.

O início das negociações das ações da oferta na BM&FBovespa está previsto para 4 de outubro e o prazo para exercício da opção do lote suplementar vai até 29 de outubro.

Exterior

A situação das dívidas soberanas dos países europeus continuou no foco dos investidores nesta sexta-feira, fazendo com que as bolsas da Europa renovassem as baixas. Em Paris, o CAC 40 perdeu 0,62%, para 3.692 pontos; e em Frankfurt, o DAX caiu 0,28%, para 6.211 pontos.

A maioria dos mercados da Ásia fechou no campo positivo nesta sexta-feira. Os investidores, contudo, andaram de lado, já que não houve negociações em Hong Kong e na China por ser feriado. Em Taiwan, a Bolsa de Taipé encerrou o dia em leve alta, com ganhos liderados pelo setor de construção, após o banco central local não introduzir novas medidas para conter o mercado imobiliário em reunião trimestral ocorrida ontem. O índice Taiwan Weighted avançou 0,1% e fechou aos 8.244,18 pontos.

Dólar

O dólar caiu a R$ 1,68, estabelecendo um novo recorde de baixa dos últimos dois anos, com a manutenção da tendência global de desvalorização da moeda norte-americana. A moeda caiu 0,65% -- menor patamar de fechamento desde 3 de setembro de 2008. No ano, o dólar tem queda de 3,56%.

No exterior, o euro subia 1,1% às 16h30, acima de US$ 1,37. A maioria das moedas tem se fortalecido ante o dólar por causa da expectativa de que o Federal Reserve terá de adotar mais estímulos para a economia. Dados sobre confiança, indústria e inflação divulgados nesta sessão reforçaram essa tese. Integrantes do Fed, como William Dudley e Charles Evans, também sinalizaram apoio a um aumento da oferta monetária .

No Brasil, a queda do dólar tem sido facilitada pela ausência de novas medidas do governo contra a valorização do real. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, vêm indicando a possibilidade de compras de dólares pelo Fundo Soberano e mais taxação sobre o capital estrangeiro, mas por ora a política se restringe a dois leilões diários do BC no mercado.

    Leia tudo sobre: bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.