Tamanho do texto

Na máxima do dia, índice chegou a avançar 1,09%; indicadores dos EUA e da China foram responsáveis pela melhora do humor

selo

A Bolsa de Valores de São Paulo acompanhou o bom humor externo, mas foi perdendo o vigor com o passar das horas e ficou bem perto de terminar no zero a zero. Não foi muito além disso, influenciada pelo vencimento de índice futuro, amanhã. O sinal positivo no exterior foi patrocinado pelos indicadores da economia da China e dos Estados Unidos. 

O índice Bovespa terminou a sessão em alta de 0,29%, aos 62.204,83 pontos. Na mínima, operou estável, aos 62.023 pontos e, na máxima, aos 62.697 pontos (+1,09%). No mês, o índice acumula perda de 3,74% e, no ano, queda de 10,24%. O giro financeiro somou R$ 5,014 bilhões. Os dados são preliminares. 

O exercício de amanhã já vem influenciando o mercado há dias e, segundo os especialistas, foi o responsável pelo desempenho do índice hoje. Há muitos contratos vendidos de estrangeiros e isso pode ser uma das explicações para a alta tímida da sessão. Um dos profissionais consultados chegou a projetar que uma avaliação para a Bovespa só pode ocorrer depois do exercício, na quinta-feira, tamanha a volatilidade esperada para amanhã. 

Os indicadores da China puxaram as bolsas para cima ao mostrarem atividade aquecida, embora os preços também. Para resolver essa questão, no entanto, o banco central chinês elevou novamente a alíquota do depósito compulsório dos bancos, pela sexta vez no ano. O índice de preços ao consumidor na China subiu 5,5% em maio ante maio de 2010, na maior taxa anual desde julho de 2008 e o índice de preços ao produtor teve alta anual de 6,8% no mês passado. A produção industrial do gigante asiático cresceu 13,3% em maio e as vendas no varejo, 16,9%, ambos em base anual. 

Já as vendas no varejo nos EUA caíram no mês passado, mas bem menos do que era previsto (-0,2%) e isso também favoreceu as bolsas. As declarações do presidente do banco central americano, Ben Bernanke, no meio da tarde, esperadas pelos investidores, não chegaram a fazer preço nos ativos. O índice Dow Jones terminou com ganho de 1,03%, aos 12.076,11 pontos, o S&P-500 avançou 1,26%, aos 1.287,87 pontos, e o Nasdaq subiu 1,48%, aos 2.678,72 pontos.

Na Bolsa brasileira, as blue chips subiram, mas apenas Petrobras se destacou, já que o desempenho das ações da Vale foi fraco. As ações da mineradora subiram 0,50% na ON e 0,25% na PNA. Petrobras ON subiu 1,63% e Petrobras PN, +1,16%. Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), o contrato do petróleo para julho avançou 2,12%, a US$ 99,37 o barril.

    Leia tudo sobre: Bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.