Tamanho do texto

Principal índice da Bolsa fechou em baixa de 1,22%, a 62.697 pontos; dados da China elevaram a cautela dos investidores

A Bovespa refletiu o pessimismo generalizado dos mercados internacionais e fechou no vermelho, puxada pelas ações de siderúrgicas, em meio a dados desanimadores da economia chinesa.

O Ibovespa fechou em baixa de 1,22%, aos 62.697 pontos. O giro financeiro da sessão totalizou R$ 4,95 bilhões.

O foco das atenções nesta sexta-feira foi a notícia de que a China teve superávit comercial menor que o esperado em maio, em meio a fortes importações e menor demanda global por produtos do país.

"Cada um entende de um jeito, uns que vamos ter menos inflação no mundo. Outros, que teremos menos crescimento. Mas está um mau humor muito grande", disse o economista-chefe do banco Fator, José Francisco Lima Gonçalves.

Também pressionado por incertezas relacionadas a um novo pacote de resgate financeiro para a Grécia, o principal índice de ações europeu caiu ao menor nível em três meses.

O mesmo pano de fundo empurrou as bolsas nova-iorquinas para baixo, na sexta semana consecutiva de perdas. O índice de tecnologia Nasdaq e S&P 500 tiveram a pior semana desde agosto do ano passado.

Na bolsa paulista, a queda foi generalizada, com destaque para setores ligados ao mercado doméstico, após a divulgação de que o emprego na indústria e as vendas no varejo caíram na passagem de março para abril.

No setor imobiliário, Brookfield puxou a fila, caindo 3,15%, a R$ 8,30. Já entre as varejistas a liderança de perdas foi de Lojas Americanas, com baixa de 2,92%, a R$ 15,61.

TAM perdeu 2,78%, para R$ 32,16s, em meio a cancelamentos de voos internacionais do Brasil devido aos problemas causados por um vulcão no Chile que espalhou cinzas para Santa Catarina e Paraná. À tarde, as empresas aéreas começavam a normalizar as operações.

O peso no índice só não foi maior devido a recuperações pontuais. Pão de Açúcar, a melhor do índice, ganhou 1,06%, a R$ 67,00. CSN, que fora a líder de perdas na véspera, subiu 0,96%, a R$ 20,00.

A blue chip Petrobras resistiu à queda de 2,6% na cotação de petróleo e teve ligeira oscilação positiva de 0,08%, a R$ 23,72, após a companhia ter anunciado descobertas de reservas no Golfo do México e no Espírito Santo.

Veja também:

- Dólar sobe pelo terceiro dia seguido e fecha a R$ 1,596

    Leia tudo sobre: Bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.