Tamanho do texto

Bolsa pode ser mais pressionada por Grécia e China nos próximos dias, mas deve se recuperar novamente depois

As boas notícias que vinham impulsionando a bolsa de valores brasileira nos últimos dois meses parecem ter acabado e dado lugar a uma nova onda de pessimismo. Em dois dias, o Ibovespa perdeu 3,9% e, segundo analistas, pode cair ainda mais. “Interrompeu-se o ciclo de boas notícias para as bolsas de valores,” afirmou Pedro Galdi, analista chefe da SLW Corretora. Agora, os investidores globais se preocupam com China e Grécia.

Os chineses reduziram sua projeção de crescimento neste ano para 7,5%, o que preocupa todo mundo, uma vez que a China é uma grande consumidora global, principalmente de commodities.

Leia : Dólar sobe 1,57% e fecha valendo R$ 1,764

Já os gregos precisam que seus credores aceitem a troca da dívida do país nesta quinta-feira, o que está gerando tensão nos mercados. Rumores de que o país não conseguirá a adesão dos credores geraram o movimento de descida nesta terça, diz Marcelo Varejão, analista da corretora Socopa. “Muitos investidores se desfizeram de ações para aguardar a definição sobre Grécia,” acrescenta.

O pessimismo pode se arrastar por pelo menos mais um dia, na opinião dos analistas, principalmente por conta da Grécia. “Amanhã será a véspera do dia D para a Grécia”, afirma Galdi. Embora ele acredite que o país conseguirá trocar suas dívidas, o analista chefe da SLW Corretora aposta em mais uma sessão de tensão amanhã. “Até lá, o mercado vai sentir uma pressão,” diz. Dados do mercado de trabalho dos Estados Unidos, previstos para os próximos dias, também podem pesar nas bolsas, afirma Galdi.

Mais : Bolsas caem por pessimismo com China e Grécia

No Brasil, a previsão de corte de meio ponto percentual do Copom nesta quarta-feira pode favorecer empresas de consumo interno no pregão de amanhã. Por outro lado, papéis ligados a commodities e companhias que investem no mercado externo devem sofrer mais, afirma Varejão, da Socopa. Os analistas, porém, dizem que há espaço para a bolsa brasileira cair. Além de ter uma forte composição de empresas ligadas às commodities, o que pesa negativamente, o Ibovespa tinha acumulado um ganho de 15,96%. Agora, os investidores aproveitam para realizar lucros.

Montanha russa

A baixa, entretanto, deve ser rápida, na visão dos analistas. “Depois de alguns dias de queda, a bolsa deve reverter o sentido e subir com rapidez,” diz Galdi. Segundo ele, o viés de longo prazo da bolsa segue positivo. “A Europa está se isolando cada vez mais do resto do mundo, enquanto os emergentes aquecem suas economias para minimizar impacto da Europa,” diz.

"É possível que a Bovespa perca 6% na semana e recupere em seguida," acrescenta Galdi.

Também : PIB da zona do euro cai com indústria e gasto familiar

Varejão lembra ainda que, apesar de a notícia da China estar abalando os mercados agora, deve perder influência nos próximos dias. Isso porque, embora preveja meta menor, o país deve superar seus objetivos de crescimento, como já vem fazendo nos últimos anos.

    Leia tudo sobre: bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.