Tamanho do texto

Ibovespa encerrou a sexta-feira com leve baixa de 0,02%, aos 65.812 pontos, mas ainda sobe 16% no ano

A Bolsa de Valores de São Paulo fechou estável nesta sexta-feira, com leve baixa de 0,02%, aos 65.812 pontos. Com o resultado, o Ibovespa terminou a semana com forte queda de 2,76% e zerou os ganhos no mês, mas ainda sobe quase 16% no ano. O volume negociado foi de R$ 6,13 bilhões.

A falta de notícias que impulsionassem ou derrubassem a bolsa acabou deixando a Bovespa de lado durante a maior parte do pregão. Para Marcio Cardoso, sócio-diretor da Título Corretora, a bolsa enfrenta uma série de pontos de interrogação. “Os investidores estão procurando informações para saber qual a próxima movimentação do Ibovespa”, afirma.

Leia : Dólar segue desvalorização da moeda no exterior e recua

Para ele, os investidores estão trabalhando em um canal entre 65 mil e 69 mil pontos da Bovespa. “É uma faixa um pouco mais longa, na qual o mercado está trabalhando há algum tempo e que demonstra a total falta de novidades que possam levar o mercado para cima ou para baixo”, destaca Cardoso.

E a semana também não foi muito boa para as ações mais negociadas da bolsa. Os papéis preferencias e ordinários da Vale encerraram com queda de 3,3%. Já as ações ordinárias da Petrobras perderam 2,63%, enquanto as ordinárias caíram 2,1%.

Mais : ‘Tsunami cambial’ não inundou o Brasil

Duas empresas de Eike Batista encabeçaram as baixas no Ibovespa. As ações ordinárias da OGX Petróleo tiveram queda de 4,53%, enquanto as de mesmo tipo da LLX Logística caíram 3,64%. No sentido contrário, as maiores altas ficaram com os papéis preferenciais da Gerdau, com avanço de 3,63%, e os ordinários da Dasa, com alta de 3,46%.

    Leia tudo sobre: bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.