Tamanho do texto

Com incertezas no exterior, investidores aproveitaram para embolsar parte dos ganhos acumulados nos últimos quatro pregões de alta

selo

Os investidores em ações aproveitaram as incertezas no mercado externo para embolsar parte dos ganhos acumulados nos últimos quatro pregões de alta. Nesse período, a Bovespa ganhou 5% e pulou dos 56 mil para os 59 mil pontos. Hoje, chegou a pisar nos 57 mil, mas a melhora das bolsas norte-americanas durante a tarde ajudou, e o mercado doméstico fechou acima dos 58 mil pontos.

O Ibovespa terminou a quinta-feira com queda de 1,38%, aos 58.546 pontos. Na mínima, registrou 57.963 pontos (-2,36%) e, na máxima, os 59.354 pontos (-0,02%). No mês, acumula ganho de 3,16%. A Vale, com grande peso no índice,  teve perdas superiores a 2% e foi um dos papéis a pesarem sobre o desempenho do principal índice à vista nesta sessão.

Veja também: Após duas quedas, dólar retoma alta ante o real por exterior
Bolsas europeias fecham quinta-feira em baixa

Segundo um operador, a preocupação com a situação dos bancos europeus foi o estopim para as ordens de vendas e o Ibovespa nas mínimas. Mas o mau humor foi diminuindo após o fechamento das bolsas europeias, quando os investidores em Wall Street passaram a repercutir os bons indicadores divulgados nos EUA hoje.

Entre os dados, destaque para o número de pedidos de auxílio-desemprego, que caiu 15 mil na semana passada, para 372 mil, bem mais do que a queda de 6 mil esperada por analistas. Já a ADP/Macroeconomic Advisers revelou que o setor privado norte-americano criou 325 mil empregos em dezembro ante novembro, acima da expectativa de criação de 175 mil empregos.

O espaço para Wall Street reagir aos indicadores surgiu depois que as bolsas da Europa fecharam, e em baixa. Itália e Espanha foram os países mais afetados pelos temores sobre a saúde dos bancos da região.

A desconfiança sobre a liquidez dos bancos ressurgiu com informações de que o governo espanhol exigirá que instituições financeiras levantem cerca de 50 bilhões de euros em provisões adicionais para lidar com ativos imobiliários podres e também relatos de que um grande banco alemão precisará levantar capital, de acordo com vários traders de Londres.

Em relação à crise de dívidas soberanas, o governo grego alertou hoje que o país corre o risco de pedir default desordenado em março se não completar as negociações para o segundo pacote de resgate ainda este mês.

    Leia tudo sobre: bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.