Tamanho do texto

Às 10h09, o índice Ibovespa tinha alta de 0,22%, aos 62.834 pontos

selo

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) abriu o dia em alta, sem uma agenda forte de indicadores econômicos, além de investidores pouco propensos a exposições de risco. No entanto, a divulgação de dados macroeconômicos ao longo da semana abre espaço para os caçadores de pechinchas nos mercados internacionais e a busca por ofertas de ocasião. Às 10h09 (horário de Brasília), o índice Bovespa (Ibovespa) tinha alta de 0,22%, aos 62.834 pontos.

A Bolsa interrompeu duas semanas seguidas de ganhos e amargou queda de mais de 2% no acumulado dos últimos cinco dias, retrocedendo aos 62 mil pontos. A recomposição de preços verificada desde cedo, contudo, deve ser passageira, diante da agenda econômica que ganha força a partir de amanhã.

Até sexta-feira, serão anunciados dados sobre inflação e atividade nos Estados Unidos, na China e na zona do euro. Na avaliação do estrategista-chefe da SLW Corretora, Pedro Galdi, esses números servirão de termômetro para mensurar a temperatura da economia global e o que poderá ser feito no campo da política monetária. Ele acrescenta ainda que as atenções também estão voltadas para a Grécia, cuja modelo financeiro de socorro deve ser definido até o dia 20.

Em compasso de espera, Galdi avalia que os investidores mostram-se dispostos em tomar um pouco mais de risco, uma vez que os preços dos ativos estão em níveis atraentes. "Os mercados podem recuperar um pouco, mas também não vão muito além", afirma, lembrando que as incertezas sobre os fundamentos macroeconômicos seguem no ar.

Diante disso, vale citar a piora nas projeções para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2012, passando de 5,10% para 5,13%, segundo a pesquisa Focus do Banco Central; e também no grupo das cinco instituições que mais acertam as previsões de médio prazo, o top 5, cuja expectativa para o IPCA em 2011 subiu de 6,16% para 6,31%. O levantamento trouxe ainda uma redução na previsão de alta do Produto Interno Bruto (PIB) neste ano, que caiu de 4% para 3,96%. O grande destaque doméstico nesta semana é a ata da reunião da semana passada do Comitê de Polícia Monetária (Copom), que sai na quinta-feira.

No campo corporativo, o Magazine Luiza informou hoje, em fato relevante, que assinou um memorando de entendimentos para a aquisição do negócio de varejo de eletroeletrônicos e móveis explorado pela rede "Baú da Felicidade". O negócio, avaliado em R$ 83 milhões, prevê a compra de 121 lojas localizadas no Paraná, Minas Gerais e São Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.