Tamanho do texto

SÃO PAULO - As bolsas europeias fecharam em direções opostas, refletindo uma certa indecisão dos investidores após a divulgação de novos indicadores da economia americana e ao discurso do presidente do Fed, Ben Bernanke

. Em Londres, o FTSE 100 caiu 0,42%, para 5.703 pontos; em Paris, o CAC 40 subiu 0,21%, para 3.827 pontos; e em Frankfurt, o DAX ganhou 0,57%, para 6.492 pontos. O presidente do Federal Reserve (Fed), Ben Bernanke, reiterou hoje que o banco central dos Estados Unidos está preparado para agir com o fim de reavivar a economia por meio da compra de títulos do Tesouro, mas ainda está discutindo o tamanho que o programa deve ter. Ele também comentou que o Fed pode usar seu poder de comunicação para evitar que os Estados Unidos caiam em uma "espiral deflacionária". Além da fala da autoridade monetária, os investidores receberam hoje os dados de vendas no varejo dos Estados Unidos, que tiveram elevação de 0,6% entre agosto e setembro e apresentaram alta de 7,3% perante setembro de 2009. O Departamento do Comércio aproveitou para rever a taxa de variação verificada de julho para agosto - em vez de ampliação de 0,4%, houve incremento de 0,7%. E contrapartida, a confiança dos consumidores americanos diminuiu em outubro. O indicador que mede esse sentimento ficou em 67,9 na leitura preliminar deste mês, informou a Universidade do Michigan. O resultado veio abaixo das estimativas de alguns analistas, que previam uma marca de 68,9 para a parcial deste mês. Em setembro, o indicador registrou 68,2. Na Europa, a balança comercial da zona do euro registrou déficit de 4,3 bilhões de euros em agosto, invertendo o sinal verificado um mês antes, quando teve superávit de 6,2 bilhões de euros. Em agosto de 2009, também foi anotado resultado negativo, de 2,8 bilhões de euros. Na União Europeia (UE), o déficit foi mais marcado em agosto deste calendário, de 17,3 bilhões de euros. Em julho, o saldo deficitário tinha sido de 6,2 bilhões de euros. O resultado também é mais acentuado em relação àquele de agosto de 2009, de déficit de 12,4 bilhões de euros. O índice de preços ao consumidor na zona do euro aumentou 1,8% em setembro, perante um ano antes. A taxa superou aquela verificada em agosto, de 1,6%. Em setembro do ano passado, houve deflação, de 0,3%. Na passagem de agosto para setembro de 2010, o indicador teve alta de 0,2%. Na União Europeia, a inflação anual foi de 2,2% em setembro, excedendo os 2% de agosto. No nono mês de 2009, a taxa tinha sido positiva em 0,3%. De agosto para setembro deste calendário, o indicador registrou elevação de 0,2%. As ações do Carrefour recuaram 4% e ficaram entre as maiores baixas do dia. O papel reagiu à notícia de que a empresa francesa terá que contabilizar 180 milhões de euros (R$ 415,9 milhões) como "encargos extraordinários" do grupo no Brasil. (Téo Takar | Valor, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.