Tamanho do texto

Preocupações com a desaceleração da economia da China e do Brasil também pesaram no pregão desta terça-feira

As ações europeias atingiram o menor nível de fechamento do mês nesta terça-feira, com preocupações com as negociações da dívida da Grécia, após um rali de alta de quase três meses.

Leia também: Bolsas caem por pessimismo com China e Grécia

Investidores realizaram lucros após novos temores de que a Grécia não conseguiria o apoio de credores privados para o seu programa de reestruturação da dívida, enquanto preocupações com a desaceleração de economias em crescimento como China e Brasil pesaram na percepção.

O FTSEurofirst 300, que reúne as principais ações europeias, terminou em baixa de 2,63%, a 1.052 pontos. "O mercado parece ter se colocado a frente de si mesmo nas semanas recentes", disse Markus Huber, presidente de negociações na Alemanha do ETX Capital, adicionando que enquanto houver insegurança a respeito da Grécia, os mercados continuarão vulneráveis a quedas.

Bancos da zona do euro, que são donos de boa parte da dívida soberana da região e devem sofrer com uma economia fraca, e empresas do setor automotivo, que depende fortemente da economia mundial, foram os de pior desempenho nas bolsas europeias.

Em Londres, o índice Financial Times fechou em baixa de 1,86%, a 5.765 pontos. Em Frankfurt, o índice DAX caiu 3,4%, para 6.633 pontos. Em Paris, o índice CAC-40 perdeu 3,58%, para 3.362 pontos. Em Milão, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 3,39%, para 16.218 pontos. Em Madri, o índice Ibex-35 retrocedeu 3,39%, para 8.166 pontos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.