Tamanho do texto

Inflação registra maior alta em 10 meses, mas vem abaixo do esperado

selo

Os investidores devem manter o bom humor nesta sexta-feira chuvosa em Wall Street, com as bolsas abrindo em alta. A inflação ao consumidor nos Estados Unidos, embora tenha tido a maior alta desde abril de 2011, veio levemente abaixo do esperado e isso também ajuda. Às 10h51, Dow Jones subia 0,13% e Nasdaq caia 0,16%.

No front corporativo, os holofotes estão no iPad3, da Apple, que começa a ser vendido hoje nas lojas dos EUA e mais nove países. Analistas esperam que as vendas do novo tablet deem um impulso ainda maior aos resultados da companhia. Em todos os países onde o iPad3 começa a ser vendido, pessoas fizerem filas por horas e até acamparam em frente às lojas para garantir seu tablet. Por outro lado, há a notícia negativa de que reguladores dos EUA e da Europa estão investigando o Google por invasão de privacidade por meio do browser Safari, que é usado no iPhone e iPad.

Nos EUA, o índice de preços ao consumidor (CPI) subiu 0,4% em fevereiro, com ajuste sazonal, ante janeiro, e teve alta de 2,9% em relação a um ano atrás, pressionado pelo aumento nos preços da gasolina, que subiram 6%. O núcleo do CPI, que exclui alimentos e energia, subiu 0,1% ante o mês anterior. Economistas esperavam alta de 0,5% no índice cheio e de 0,2% do núcleo. 

Na China, o vice-ministro do Comércio chinês, Chen Jian, disse que o yuan pode ter alguma desvalorização, após o déficit comercial dos dois primeiros meses do ano. Segundo ele, a alta da moeda chinesa "tem sido um pouco rápida".

Na Europa, a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, negou que líderes da zona do euro estejam considerando aumentar o fundo de resgate permanente, ou Mecanismo de Estabilidade Europeu (ESM), para mais de 500 bilhões de euros, conforme notícias divulgadas na imprensa mais cedo. E a Grécia espera receber na segunda-feira a parcela de 5,9 bilhões de euros do segundo pacote de resgate.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.