Tamanho do texto

As Bolsas norte-americanas abriram essa sexta-feira em leve alta, influenciadas pela divulgação de mais bons resultados de empresas, mas estrategistas dizem que os investidores podem relutar em assumir posições relevantes antes do fim da reunião do G-20 na Coreia do Sul

selo

As Bolsas norte-americanas abriram essa sexta-feira em leve alta, influenciadas pela divulgação de mais bons resultados de empresas, mas estrategistas dizem que os investidores podem relutar em assumir posições relevantes antes do fim da reunião do G-20 na Coreia do Sul. O encontro termina sábado e hoje os EUA apresentaram uma proposta, com apoio da Coreia do Sul, de meta para balanço em conta corrente dos países, a qual dividiu opiniões no grupo.

Às 11h31 (de Brasília), o Dow Jones registrava pequena queda de 0,07% aos 11.137,63 pontos; o Nasdaq tinha leve alta de 0,04% aos 2.460,34 pontos e o S&P 500 subia 0,06% para 1.180,87 pontos.

Entre os balanços divulgados hoje, o lucro da Schlumberger cresceu no terceiro trimestre deste ano, enquanto os ganhos da Honeywell e da Verizon caíram, mas os três ficaram acima das projeções dos analistas.

O conglomerado industrial Honeywell International informou queda para US$ 497 milhões ou US$ 0,64 por ação no terceiro trimestre, de US$ 619 milhões ou US$ 0,80 por ação no mesmo período do ano passado. Excluindo custos extraordinários, a companhia lucrou US$ 0,82 por ação. Analistas esperavam lucro de US$ 0,62 por ação.

A companhia de serviços do setor de petróleo Schlumberger informou que seu lucro mais do que dobrou, para US$ 1,73 bilhão (US$ 1,38 por ação), de US$ 787 milhões (US$ 0,65 por ação) no mesmo período do ano passado. Excluindo impactos de aquisições, o lucro foi de US$ 0,70 por ação. A receita subiu 26%, para US$ 6,85 bilhões. Analistas ouvidos pela Thomson Reuters esperavam ganhos de US$ 0,69 por ação e receita de US$ 6,83 bilhões.

O lucro da empresa de comunicação Verizon diminuiu 25%, para US$ 881 milhões (US$ 0,31 por ação), de US$ 1,18 bilhão (US$ 0,41 por ação). Excluindo itens como custos com fusões e reestruturação, os ganhos recuaram para US$ 0,56 por ação, de US$ 0,60 por ação. A receita caiu 2,9%, para US$ 26,5 bilhões, embora em base operacional tenha subido 2,1%. Os analistas ouvidos pela Thomson Reuters calculavam ganhos de US$ 0,54 por ação e receita de US$ 26,35 bilhões.

O estrategista da CMC Markets, Michael Hewson, disse que a temporada de balanços do terceiro trimestre mostrou um paradoxo, criado pelos fortes lucros e fracos indicadores econômicos. "Em algum momento, este paradoxo terá de ser desfeito", acrescentou. Hewson disse ainda que, embora os ganhos recentes das ações tenham sido impulsionados, em grande parte, pelos lucros superiores ao esperado, as receitas das companhias não têm mostrado o mesmo desempenho. Isso indica que as companhias norte-americanas aumentaram seus lucros com o corte de custos, observou.

O chefe de renda fixa do Evolution Securities, Gary Jenkins, disse mais cedo que 85 das 103 empresas do S&P 500 reportaram lucro superior ao previsto, enquanto apenas 46 divulgaram receita melhor do que as estimativas. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.