Tamanho do texto

O crescimento fraco na zona do euro minou as forças das bolsas nova-iorquinas, que abriram em baixa hoje

selo

O crescimento fraco na zona do euro minou as forças das bolsas nova-iorquinas, que abriram em baixa hoje. Os mercados também aguardam o resultado da reunião do presidente da França, Nicolas Sarkozy, com a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, sobre a crise da dívida na região. Às 10h15 (de Brasília), o índice Dow Jones caía 1%, o S&P 500 tinha queda de 1,19% e o Nasdaq perdia 1,20%.

No entanto, pouco antes a abertura, a agência de classificação de risco Fitch afirmou o rating AAA dos EUA, com perspectiva estável, o que pode fornecer alguma sustentação para as bolsas.

De todo modo, nem mesmo os balanços corporativos robustos como os do Walmart e da Home Depot ou dados melhores do que o esperado sobre construção de moradias nos Estados Unidos foram suficientes para dar um pouco de ânimo ao investidor no começo da manhã.

O índice que mede a construção de moradias iniciadas nos EUA caiu 1,5% em julho ante junho, para 604 mil, melhor do que a previsão de queda de 4,6%, para 600 mil, mas ainda assim abaixo do nível considerado saudável para o mercado, de 1 milhão a 1,5 milhão.

Em Paris, Merkel e Sarkozy se encontram em Paris e falam à imprensa às 13h30. Eles irão discutir uma forma de convergência fiscal na região e já garantiram que não falarão sobre a hipótese de a zona do euro emitir títulos - os chamados eurobônus.

O fato é que a zona do euro tirou os pés do freio e está cada vez mais complicado achar uma solução para o curto prazo. O Produto Interno Bruto (PIB) dos 17 países do bloco cresceu 0,2% no segundo trimestre deste ano ante o primeiro trimestre e 1,7% em relação ao segundo trimestre de 2010. Já o PIB da Alemanha, que é o motor do bloco, cresceu mísero 0,1% no segundo trimestre em relação ao primeiro, e 2,7% em base anual, abaixo das projeções de analistas.

Balanço

Também hoje foi divulgado o balanço da varejista Walmart, que informou que seu lucro no segundo trimestre cresceu 5,7% para US$ 1,09 por ação, de US$ 0,97 por ação no mesmo período do ano passado. A Home Depot, do setor de material de construção de decoração, divulgou crescimento de 14% no lucro no segundo trimestre ante o mesmo período do ano passado.