Tamanho do texto

Investidores estão atentos aos anúncios de balanço das empresas norte-americanas

selo

O bom humor tomou conta de Wall Street nesta manhã, com os investidores reanimados pelas projeções da Alcoa, apesar do prejuízo anunciado, e atentos a agenda de indicadores. Às 12h52 (de Brasília), o Dow Jones subia 0,69%, o S&P 500 tinha alta de 0,88% e o Nasdaq avançava 1,08%.

Leia também: Bovespa abre em alta com exterior e commodities

A indústria norte-americana de alumínio teve prejuízo líquido de US$ 191 milhões no quarto trimestre, após um lucro líquido de US$ 158 milhões no mesmo período de 2010. Porém, a receita da empresa subiu 6%, para US$ 5,99 bilhões, superando estimativas de analistas de receita de US$ 5,7 bilhões. Aliado a isso, as perspectivas da empresa para 2012 são positivas. No mesmo horário, as ações da Alcoa subiam 3,45%.

Na agenda dos EUA, o indicador de otimismo nos pequenos negócios, divulgado esta manhã, mostrou melhora em dezembro. Segundo a pesquisa da Federação Nacional de Negócios Independentes (NFIB, na sigla em inglês) subiu 1,8 ponto, para 93,8 pontos, dando continuidade a quatro meses de aumento do otimismo. O número, no entanto, ainda está em território recessivo. Logo mais, às 13h (de Brasília), serão divulgados dados de vendas no atacado em novembro.

Na Europa, a Fitch Ratings alertou que a Itália é o país que oferece o maior risco para o euro e que vê pressão sobre o rating do país. A agência de classificação de risco disse ainda que vê a saída da Grécia da zona do euro continua uma "opção potencial".

Na China, o superávit comercial cresceu para US$ 16,52 bilhões , ficando bem acima dos US$ 7,8 bilhões esperados por analistas. Em todo o ano de 2011, porém, o superávit comercial caiu para US$ 155,14 bilhões, queda de 15,3% ante os US$ 183,1 bilhões de 2010. O superávit de 2011 equivale a 2,2% do PIB chinês, ante 3,1% do PIB em 2010.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas