Tamanho do texto

As Bolsas de Nova York registram perdas na manhã de hoje, com os investidores reagindo aos dados sobre as importações mais altas nos Estados Unidos e na China

selo

As Bolsas de Nova York registram perdas na manhã de hoje, com os investidores reagindo aos dados sobre as importações mais altas nos Estados Unidos e na China. A crise da dívida da Grécia também segue em destaque. Às 11h24 (horário de Brasília), o índice Dow Jones recuava 0,99%, o Nasdaq caía 0,86% e o S&P-500 registrava baixa de 0,98%.

Os preços das importações nos EUA subiram 0,2% em maio ante abril, o que representa o oitavo aumento consecutivo, superando expectativa de queda de 0,2%. Na China, o superávit comercial se ampliou para US$ 13,05 bilhões em maio, ante US$ 11,4 bilhões em abril, ficando abaixo da alta para US$ 18,6 bilhões esperada pelo mercado. As importações cresceram 28,4% em maio ante o mesmo mês do ano passado, superando a estimativa de alta de 22%. Já as exportações chinesas avançaram 19,4% em relação a maio do ano passado, abaixo das expectativas dos economistas, de 20,4%.

Na Coreia, a surpresa foi trazida pelo banco central, que elevou a taxa de juro em 0,25 ponto porcentual, para 3,25% ao ano. Na Grécia, o dilema gira em torno do pagamento ou não das dívidas. O porta voz da Comissão Europeia disse que não há acordo sobre um novo pacote de ajuda ao país, enquanto o vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE), Vitor Constancio, voltou a dizer que o BCE não descarta todos os planos de extensão dos vencimentos dos bônus gregos como parte das medidas para que seja dada a ajuda ao país.

No lado corporativo, a Toyota informou que espera que o lucro do ano fiscal até março de 2012 caia 31% para 280 bilhões de ienes (US$ 3,5 bilhões), refletindo o impacto do terremoto e do tsunami de março deste ano. Já as ações da Zipcar eram favorecidas após o banco J.P Morgan elevar o rating (classificação de risco) da locadora de carros.

A Siemens disse que encontrou evidências de corrupção em sua unidade no Kuwait. Já as ações do ING eram pressionadas, após o banco informar que a prioridade para 2011 é preparar seus negócios de seguradora na Europa e EUA para ofertas públicas iniciais (IPOs) de ações. A Microsoft foi condenada a pagar US$ 290 milhões por infringir a patente da empresa canadense l4i nas versões do Word de 2003 e 2007.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.