Tamanho do texto

Índice das principais ações europeias FTSEurofirst 300 caiu 0,48% e atingiu o menor nível de fechamento em três meses

As bolsas de valores da Europa fecharam em queda nesta segunda-feira, por preocupações crescentes sobre a crise de dívida da zona do euro, depois do adiamento dos empréstimos emergenciais para a Grécia e do possível rebaixamento da nota de crédito da Itália.

O índice das principais ações europeias FTSEurofirst 300 caiu 0,48%, aos 1.081 pontos, atingindo o menor nível de fechamento em três meses.

As ações dos bancos se depreciaram, com o índice do setor bancário STOXX Europe 600 perdendo 0,9%. Os ministros das Finanças da zona do euro aumentaram a pressão sobre a Grécia, pedindo medidas de austeridade mais duras antes da decisão de liberar mais 12 bilhões de euros em empréstimos.

"Parece haver um impasse entre os ministros das Finanças da zona do euro e a Grécia, e isso está causando incerteza sobre a próxima parcela de fundos e encorajando a aversão a risco", disse Joshua Raymond, estrategista de mercado da City Index.

Os bancos da Itália também registraram perdas neste pregão, depois que a agência de classificação de risco Moody's ameaçou cortar o rating do país, dizendo que fraquezas estruturais, como o mercado de trabalho rígido, são um desafio ao crescimento econômico.

Em LONDRES, o índice Financial Times fechou em baixa de 0,38%, a 5.693 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 0,19%, para 7.150 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 0,63%, para 3.799 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 2,01%, para 19.692 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 retrocedeu 0,96%, para 10.038 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 encerrou em queda de 2,02%, para 7.107 pontos.