Tamanho do texto

Fragilidade nos mercados acaba com otimismo vivido desde a injeção de dinheiro pelo BC Europeu

As ações asiáticas caíram nesta terça-feira em meio à desaceleração econômica na China e na Europa e receios com o Irã, o que atingiu a confiança do consumidor, levando-os a realizar lucros de recentes altas que se marcaram por grande liquidez.

A redução de meta de crescimento da China e números que apontam para o risco de a Europa voltar a ter recessão corroeram o otimismo que vinham marcando o tom dos mercados globais desde que o Banco Central Europeu (BCE) fez a primeira grande injeção de liquidez, no fim de dezembro.

Financiamentos abundantes no sistema estabilizaram mercados e minimizaram as preocupações com a crise causada pela dificuldade de financiamento dos bancos europeus, mas a incerteza sobre a economia global levou investidores a diminuírem a exposição ao risco.

O petróleo também tinha queda, ressaltando a vulnerabilidade do mercado frente à ampla venda de diversos ativos.

"O prêmio para o risco de abastecimento do Irã está mantendo os preços, mas a maior volatilidade é do lado da demanda", disse Jeremy Friesen, estrategista de commodities da Société Générale.

"É interessante que a economia fraca ainda não tenha causado uma tendência de venda em petróleo, mas à medida que mais números vierem à tona nesta semana pode desapontar os investidores o suficiente para enfraquecer os preços", acrescentou.

O índice que reúne as ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão caiu mais de 1,5 por cento, arrastado pelas ações chinesas e o setor asiático de mineração. O índice Nikkei, do Japão, fechou em queda de 0,6 por cento.

O índice de Seul encerrou em baixa de 0,78%, enquanto o mercado recuou 2,16% em Hong Kong e a bolsa de Taiwan perdeu 0,83%. O índice referencial de Xangai perdeu 1,41%, Cingapura retrocedeu 2% e Sydney teve desvalorização de 1,37%.

O petróleo nos EUA caía para abaixo de US$ 106,70 o barril.

Europa

Ao lado do temor de recessão, a crise grega também pesa nos negócios de hoje. O mercado teme que um número insuficiente de investidores troque seus títulos por novos, que pagam menos e com juros menores.

Desde a abertura, as bolsas europeias operam em baixa. Às 8h (horário de Brasília), o índice britânico FTSE 100 caia 1%. Alemanha opera em baixa, o índice DAX tinha queda de 1,42%.

Na Itália, o índice FTSE MIB da bolsa de valores recuava 1,67%, enquanto a bolsa Espanha registrava baixa de 1,91% (IBEX-35). A bolsa de valores da França registrava queda de 1,41%.

* Com Associated Press e Reuters

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.