Tamanho do texto

Dados positivos da economia chinesa e o bom resultado trimestral divulgado pela Intel refletiram nos mercados asiáticos, que terminaram em alta nesta quarta-feira. O preço das commodities, em particular do petróleo, também teve forte peso.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237577125183&_c_=MiGComponente_C

O otimismo com os preços do petróleo no curto prazo estimulou as compras de ações de petrolíferas, o que levou a Bolsa de Hong Kong a fechar na maior pontuação em mais de 14 meses. O índice Hang Seng ganhou 419,12 pontos, ou 2%, e terminou aos 21.886,48 pontos, o melhor fechamento desde 7 de agosto de 2008.

Já as Bolsas da China apresentaram elevação pelo segundo pregão seguido. Os investidores ficaram animados com os números sobre exportação e importação de setembro - melhores do que as expectativas - e com a valorização do yuan, que estimulou a compra de papéis no setor imobiliário. O índice Xangai Composto ganhou 1,2% e encerrou aos 2.970,53 pontos. Já o Shenzhen Composto subiu 0,8% e terminou aos 1.021,10 pontos.

Demanda por dólares por grandes bancos chineses ao final da sessão deixou o yuan estável em relação à moeda americana, desfazendo a valorização da divisa chinesa verificada mais cedo devido aos dados de comércio exterior melhores que os esperados da China. No mercado de balcão, o dólar fechou cotado em 6,8265 yuans, mesmo valor do fechamento de terça-feira.

Com bom volume de negociações, a Bolsa de Taipé, em Taiwan, fechou em alta. O índice Taiwan Weighted subiu 1,3% e encerrou aos 7.695,75 pontos, a maior pontuação desde 28 de junho de 2008.

Na Coreia do Sul, as siderúrgicas e empresas de tecnologia lideraram a alta da Bolsa de Seul, após dois dias de baixa. O índice Kospi subiu 1,2% e encerrou aos 1.649,09 pontos.

O índice S&P/ASX 200 da Bolsa de Sydney, na Austrália, teve alta de 1% e fechou aos 4.831,1 pontos.

Nas Filipinas, o índice PSE da Bolsa de Manila ficou praticamente estável, com avanço de apenas 0,02%, fechando aos 2.930,70 pontos.

A Bolsa de Cingapura encerrou em novo recorde de alta no ano, ajudada por um rali generalizado nos mercados asiáticos e dados de comércio melhores que os esperados na China, o que fortaleceu as expectativas de uma retomada da economia global. O índice Straits Times subiu 1,5% e fechou aos 2.708,48 pontos.

O índice composto da Bolsa de Jacarta, na Indonésia, teve alta de 1,6% e fechou aos 2.511,72 pontos, uma vez que a alta dos preços do petróleo inspirou compras de ações relacionadas à commodity após recentes recuos. A forte valorização da rupia adicionou ganhos em muitos mercados asiáticos, também impulsionando o ânimo na bolsa local.

O mercado tailandês recuou fortemente por conta de preocupações sobre a saúde do rei do país, acelerando um declínio motivado por recuos nas blue chips. O índice SET da Bolsa de Bangcoc perdeu 2,0% e fechou aos 731,47 pontos. Alguns players continuam preocupados com decisão da corte administrativa que suspendeu 76 projetos industriais no leste do país.

O índice composto de cem blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur, na Malásia, subiu 1,1% e fechou aos 1.246,84 pontos liderado por ganhos e bancos, pesos pesados da construção e ações ligadas ao governo.

As informações são da Dow Jones

Leia mais sobre mercados

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.