Tamanho do texto

Alguns mercados da região tiveram recuperação técnica, enquanto em outros o tom de cautela prevaleceu

selo

Os mercados da Ásia encerraram a semana sem sinal definido. Nesta sexta-feira, algumas bolsas da região tiveram recuperação técnica, após as fortes perdas registradas na véspera. Outras, contudo, permaneceram cautelosas, à espera da divulgação dos números do desemprego em maio nos Estados Unidos.

Foi o caso da Bolsa de Hong Kong, onde as incertezas nos EUA e na Europa fizeram os investidores andarem de lado, também por conta do feriado de segunda-feira em HK e na China. O índice Hang Seng caiu 304,28 pontos, ou 1,3%, e terminou aos 22.949,56 pontos - na semana, o índice acumulou queda de 0,7%. Em Tóquio, índice Nikkei 225 recuou 0,7%, com cautela antes da divulgação dos dados do mercado de trabalho nos Estados Unidos.

Já as Bolsas da China se beneficiaram com a presença de investidores em busca de ofertas de ocasião entre as blue chips. O mercado, contudo, continuou cauteloso devido às incertezas sobre a redução no crescimento da economia chinesa e a alta da inflação. O índice Xangai Composto subiu 0,8% e encerrou aos 2.728,02 pontos - na semana, o índice teve ganhos de 0,6%. O índice Shenzhen Composto avançou 1,7% e terminou aos 1.124,32 pontos.

O yuan se valorizou em relação ao dólar, próximo de seu recorde histórico, depois de o Banco Central chinês reduzir a taxa de paridade central dólar-yuan (de 6,4886 yuans para 6,4846 yuans). No mercado de balcão, o dólar fechou cotado em 6,4796 yuans, de 6,4828 yuans do fechamento de quinta-feira - a unidade chinesa já se desvalorizou 5,4% em relação à moeda dos EUA desde junho de 2010, quando o governo chinês efetivamente deu início ao processo de mudança no câmbio.

A Bolsa de Taipé, em Taiwan, encerrou o dia em alta, com ganhos generalizados sob a liderança dos papéis do setor de tecnologia. O índice Taiwan Weighted registrou avanço de 0,61% e fechou aos 9.046,28 pontos.

O índice Kospi da Bolsa de Seul, na Coreia do Sul, fechou praticamente estável, com recuo de apenas 0,03%, terminando aos 2.113,47 pontos.

Na Austrália, o índice S&P/ASX 200 da Bolsa de Sydney terminou em declínio de 0,4%, fechando aos 4.583,1 pontos, pressionado pela cautela que antecede a divulgação dos números sobre o desemprego nos EUA.

Nas Filipinas, a Bolsa de Manila fechou em baixa. As preocupações com as dívidas da zona do euro e os dados fracos dos EUA anularam os bons resultados corporativos domésticos. O índice PSE recuou 0,63% e fechou aos 4.297,62 pontos.

A Bolsa de Cingapura teve fechamento fraco, uma vez que nova rodada de pobres dados econômicos dos EUA pesaram nos mercados globais e já que os investidores permanecem nervosos frente à divulgação de números do mercado de trabalho americano hoje. O índice Straits Times caiu 0,5% e fechou aos 3.145,67 pontos.

O índice composto da Bolsa de Jacarta, na Indonésia, reverteu perdas e teve alta de 0,2%, fechando aos 3.844,02 pontos, com busca por ofertas conduzida por investidores estrangeiros à tarde. 

O índice SET da Bolsa de Bangcoc, recuou 0,2% e fechou aos 1.057,86 pontos, com negociações morosas na falta de fatores incentivadores, e com as baixas na maioria dos mercados regionais pesando sobre o sentimento.

O índice composto de cem blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur, na Malásia, subiu 0,1% e fechou aos 1.559,85 pontos, oscilando entre o positivo e o negativo durante todo o dia, com exercícios de recomposição de carteiras. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.