Tamanho do texto

Em Tóquio, índice Nikkei teve leve alta de 0,1%, apoiado em ações de bancos e de empresas marítimas

selo

Os mercados da Ásia voltaram a fechar sem sinal definido nesta quarta-feira. Algumas bolsas da região tiveram novamente recuperação técnica, com a presença de investidores em busca de ofertas de ocasião. Outras seguiram a tendência negativa de Wall Street, aliada a fatores locais.

A Bolsa de Hong Kong teve o quinto pregão seguido de queda. As contínuas preocupações sobre o crescimento global e a possibilidade de medidas adicionais de aperto monetário na China derrubaram o mercado. O índice Hang Seng caiu 207,04 pontos, ou 0,91%, e terminou aos 22.661,63 pontos - nas últimas cinco sessões, o índice acumulou queda de 4,1%.

Na China, as bolsas apresentaram ligeira alta, depois de ficarem no campo negativo durante a maior parte das negociações. A presença de caçadores de barganhas teve mais efeito dos que os persistentes temores sobre a potencial alta da taxa de juros. O índice Xangai Composto subiu 0,2% e encerrou aos 2.750,29 pontos. O índice Shenzhen Composto avançou 0,3% e terminou aos 1.136,53 pontos.

O yuan se valorizou em relação ao dólar, após o Banco Central chinês reduzir a taxa de paridade central dólar-yuan (de 6,4816 yuans para 6,4795 yuans) pela terceira sessão consecutiva. No mercado de balcão, o dólar fechou cotado em 6,4757 yuans, de 6,4810 yuans do fechamento de terça-feira - a unidade chinesa já se desvalorizou 5,4% em relação à moeda dos EUA desde junho de 2010, quando o governo chinês efetivamente deu início ao processo de mudança no câmbio.

Em Taiwan, a Bolsa de Taipé fechou em baixa, com parte dos fabricantes de tablets liderando as perdas. "Os investidores devem permanecer nos bastidores, devido à crescente preocupação sobre as perspectivas econômicas dos EUA", disse Andrew Teng, analista da Capital Securities. O índice Taiwan Weighted registrou recuo de 0,55% e fechou aos 9.007,53 pontos.

Na Coreia do Sul, o índice Kospi da Bolsa de Seul recuou 0,8% e terminou aos 2.083,35 pontos, em meio à cautela que antecede o vencimento dos contratos de opções, na quinta-feira, e a reunião de política monetária do banco central, na sexta-feira.

Na Austrália, o desapontamento com as declarações de ontem do presidente do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA), Ben Bernanke, determinou a queda de 0,7% no índice S&P/ASX 200 da Bolsa de Sydney, que fechou aos 4.536,8 pontos.

A Bolsa de Manila, nas Filipinas, encerrou o dia em alta, com investidores caçando pechinchas após as recentes perdas do mercado. O índice PSE avançou 0,45% e fechou aos 4.255,44 pontos.

A Bolsa de Cingapura terminou em baixa em meio a mistos resultados dos mercados regionais, uma vez que preocupações sobre a economia global continua a pressionar, seguindo comentários do presidente do Fed, Ben Bernanke, de que a recuperação dos EUA está "desigual" e "um tanto mais devagar" do que o esperado. O índice Straits Times cedeu 0,4% e fechou aos 3.102,98 pontos.

O índice composto da Bolsa de Jacarta, na Indonésia, recuou 0,5% e fechou aos 3.825,82 pontos, liderado por vendas de investidores estrangeiros de blue chips em meio a preocupações sobre o caminho da recuperação econômica global.

O índice SET da Bolsa de Bangcoc, na Tailândia, perdeu 2,0% e fechou aos 1.014,58 pontos, sétima queda consecutiva, com contínua onda de vendas por parte de investidores estrangeiros, provavelmente realizando lucros dada a incerteza por conta de eleições locais em breve.

O índice composto de cem blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur, na Malásia, terminou estável e fechou aos 1.551,79 pontos, na ausência de fatores motivadores, com os papeis financeiros liderando os ganhos na expectativa de fusões e aquisições, mas o mercado em gera operou de lado. As informações são da Dow Jones .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.