Tamanho do texto

Parte dos mercados se anima com dados dos EUA, enquanto outra cai pela China

Os mercados asiáticos tiveram resultados distintos nesta quarta-feira. Enquanto parte das bolsas se beneficiou dos bons números da economia norte-americana e do rali em Wall Street, outras bolsas reagiram negativamente a notícias vindas da China.

Este foi o caso na Bolsa de Hong Kong, que reverteu os ganhos na sessão da manhã e fechou em queda. Os investidores reagiram mal às declarações do primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, que disse que o governo não pode relaxar sua política de aperto no setor imobiliário, à medida que os preços dos imóveis permanecem longe do razoável. O índice Hang Seng perdeu 31,81 pontos, ou 0,2%, e encerrou aos 21.307,89 pontos - no ano, o índice acumula alta de 15,6%.

As Bolsas da China também sofreram com os comentários de Wen Jiabao. O índice Xangai Composto perdeu 2,6% e terminou aos 2.391,23 pontos. Foi o maior declínio porcentual desde 30 de novembro. O índice Shenzhen Composto caiu 4,1% e encerrou aos 969,12 pontos.

O yuan caiu ante o dólar depois de o banco central conduzir a divisa para baixa por meio de sua taxa de referência diária, enquanto preocupações de que a moeda pode se depreciar se a China permitir mais flexibilidade em sua taxa de câmbio também pesaram sobre a unidade local. No mercado de balcão, o dólar fechou cotado em 6,3323 yuans, de 6,3270 yuans ontem. A taxa de paridade central dólar-yuan foi fixada em 6,3328 yuans, de 6,3259 yuans na véspera.

Em Taiwan, a Bolsa de Taipé encerrou o dia no azul, em decorrência dos dados econômicos dos EUA melhores do que os esperados. O índice Taiwan Weighted avançou 1,17% e terminou aos 8.125,26 pontos.

A Bolsa de Seul, na Coreia do Sul, também fechou em alta. O índice Kospi avançou 0,99% e terminou aos 2.045,08 pontos, a maior pontuação do ano e a melhor em sete meses.

Na Austrália, a Bolsa de Sydney seguiu o mesmo caminho e fechou em alta, com o índice S&P/ASX 200 avançando 0,93%, encerrando aos 4.287,20 pontos.

Já a Bolsa de Manila, nas Filipinas, atingiu novo recorde de pontuação com as boas perspectivas para a economia dos EUA. O índice PSE ganhou 0,9% e terminou aos 5.050,99 pontos, com pesado volume de negociações.

A Bolsa de Cingapura teve forte alta, com o índice Straits Times atingindo maior nível em sete meses, acompanhando os ganhos nos demais mercados asiáticos. O STI avançou 1,3% e fechou aos 3.026,40 pontos, maior desde 4 de agosto de 2011.

O índice SET da Bolsa de Bangcoc, na Tailândia, subiu 0,9% e fechou aos 1.164,36 pontos, seguindo as altas na maioria dos regionais.

O índice composto da Bolsa de Jacarta, na Indonésia, ganhou 1,1% e terminou aos 4.055,32 pontos, também na esteira de seus pares regionais.

O índice composto de cem blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur, na Malásia, subiu 0,7% e fechou aos 1.575,71 pontos, impulsionado por ganhos nos papéis financeiros.

Europa

Pouco depois das 9 horas (de Brasília), a bolsa de Londres operava com o índice FTSE em alta de 0,37%, enquanto em Paris o CAC-40 subia 0,73% e em Frankfurt o Dax avançava 1,19%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.