Tamanho do texto

Baixa acentuada em Wall Street, por conta de dados desanimadores da economia dos EUA, China e Europa, influenciou investidores

selo

A maioria dos mercados da Ásia fechou em forte queda nesta quinta-feira. A baixa acentuada em Wall Street, por conta de dados desanimadores da economia dos EUA, China e Europa, influenciou os investidores da região. O rebaixamento do rating da dívida da Grécia pela agência de classificação de risco Moody´s também deprimiu os mercados. Não houve negociação na Indonésia por causa de um feriado.

Na Bolsa de Hong Kong, o índice Hang Seng caiu 372,59 pontos, ou 1,6%, e terminou aos 23.253,84 pontos. Dos 45 índices da bolsa, apenas três fecharam no campo positivo.

Já a Bolsa de Xangai, na China, teve o pior fechamento em mais de quatro meses, com a má performance de peso pesados, devido ao sentimento dominante de redução no crescimento da economia chinesa. O índice Xangai Composto caiu 1,4% e encerrou aos 2.705,18 pontos - a menor pontuação desde 25 de janeiro. O índice Shenzhen Composto perdeu 1,5% e terminou aos 1.105,95 pontos.

Após as cotações recordes das últimas sessões, o yuan se desvalorizou em relação ao dólar, depois de o Banco Central chinês elevar a taxa de paridade central dólar-yuan (de 6,4837 yuans para 6,4886 yuans). No mercado de balcão, o dólar fechou cotado em 6,4828 yuans, de 6,4780 yuans no fechamento de ontem - a unidade chinesa já se desvalorizou 5,3% em relação à moeda dos EUA desde junho de 2010, quando o governo chinês efetivamente deu início ao processo de mudança no câmbio.

Em Taiwan, a Bolsa de Taipé encerrou o dia em baixa, seguindo as perdas registradas em Wall Street na quarta-feira. O índice Taiwan Weighted recuou 0,78% e fechou aos 8.991,36 pontos.

Na Coreia do Sul, o índice Kospi da Bolsa de Seul declinou 1,3% e fechou aos 2.114,20 pontos, pressionado pelos fracos indicadores econômicos dos EUA e pelas preocupações com a dívida da Grécia.

O índice S&P/ASX 200 da Bolsa de Sydney, na Austrália, perdeu 2,3% e fechou aos 4.600,4 pontos, sua maior queda em quase um ano, após os mercados reagirem negativamente aos desapontadores dados econômicos dos EUA e o rebaixamento do rating da Grécia pela agência Moody's.

A Bolsa de Manila, nas Filipinas, fechou em alta, revertendo uma queda inicial, com os investidores focando em empresas com histórico positivo. O índice PSE subiu 0,90% e terminou aos 4.324,98 pontos.

A Bolsa de Cingapura fechou em baixa em meio aos fracos resultados nos mercados asiáticos, encerrando sete sessões seguidas de altas, uma vez que preocupações sobre a macroeconomia global esfriou o recente otimismo do mercado. A queda em Wall Street liderou a baixa, enquanto a abertura pessimista dos mercados europeus pesou nas negociações da tarde. O índice Straits Times cedeu 0,4% e encerrou aos 3.160,60 pontos.

O índice SET da Bolsa de Bangcoc, na Tailândia, recuou 0,6% e fechou aos 1.059,81 pontos, com as ações de primeira linha sucumbindo à pressão de vendas em meio a persistentes preocupações sobre o crescimento econômico global e aos problemas de dívida da zona do euro. Realizações de lucros continuam em alta, enquanto os investidores estão focados nas eleições locais em julho.

O índice composto de cem blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur, na Malásia, subiu 0,1% e fechou aos 1.558,04 pontos, com procurar por pechinchas em ações de primeira linha e do setor de construção após ter operado no vermelho na maior parte do dia. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.