Tamanho do texto

Na China, índice Xangai fechou em baixa de 0,8%, no pior patamar em quase 9 meses

selo

Os mercados da Ásia voltaram a fechar em baixa acentuada nesta sexta-feira. As preocupações com a crise de débito da Grécia , aliada a fatores locais, ofuscaram a alta registrada em Wall Street.

A Bolsa de Hong Kong sofreu ainda com os temores sobre o excesso de liquidez. No quarto pregão seguido de queda, o índice Hang Seng caiu 257,85 pontos, ou 1,2%, e terminou aos 21.695,26 pontos - o índice apresentou baixa em 11 dos últimos 12 pregões e perdeu 3,2% na semana.

Na China, as bolsas atingiram o pior resultado em quase nove meses, por causa das preocupações de que o Banco Central irá aumentar a taxa de juros no fim de semana para conter a inflação. O índice Xangai Composto perdeu 0,8% e terminou aos 2.642,82 pontos, o pior fechamento desde 29 de setembro - na semana, o índice acumulou queda de 2,3%. O índice Shenzhen Composto deslizou 1,1% e encerrou aos 1.085,11 pontos.

O yuan atingiu valorização recorde em relação ao dólar, após o Banco Central chinês reduzir a taxa de paridade central dólar-yuan (de 6,4803 yuans para 6,4716 yuans). A moeda norte-americana chegou a ser cotada a 6,4634 yuans, mas a falta de liquidez do dólar fez a unidade chinesa se desvalorizar no final da sessão. No mercado de balcão, o dólar fechou cotado em 6,4744 yuans, sem mudança sobre o fechamento de quinta-feira.

A Bolsa de Taipé, em Taiwan, encerrou o dia em baixa, com fabricantes de memórias como a ProMos estendendo as perdas diante das preocupações com as dívidas de empresas do setor. O índice Taiwan Weighted caiu 0,21% e fechou aos 8.636,10 pontos.

Na Coreia do Sul, o índice Kospi da Bolsa de Seul recuou 0,7% e fechou aos 2.031,93 pontos. Além do cenário global, pesaram no mercado sul-coreano as preocupações com o desempenho das empresas de tecnologia no segundo trimestre e no segundo semestre.

A Bolsa de Sydney, na Austrália, conseguiu manter seus níveis de sustentação técnica. O índice S&P/ASX 200 ganhou 0,1% e fechou aos 4.484,9 pontos.

Nas Filipinas, a Bolsa de Manila também ficou negativa. A venda acelerada de papéis no final da sessão acabou revertendo os ganhos iniciais. O índice PSE recuou 0,48% e fechou aos 4.153,11 pontos.

A Bolsa de Cingapura fechou em baixa, acompanhando os fracos resultados nos mercados asiáticos, uma vez que os investidores continuam se desfazendo de ativos de risco em meio a generalizado pessimismo sobre a economia global e a crise da dívida soberana grega. O índice Straits Times caiu 0,5% e encerrou aos 3.005,28 pontos. Após oito sessões seguidas de baixas, o índice soma recuo de 2,4% na semana.

O índice composto da Bolsa de Jacarta, na Indonésia, cedeu 0,5% e fechou aos 3.722,30 pontos, uma vez que a maioria dos investidores realizou lucros em meio a um clima de aversão ao risco.

O índice SET da Bolsa de Bangcoc, na Tailândia, perdeu 0,1% e fechou aos 1.018,96 pontos em uma sessão não inspirada, fechando no vermelho pela terceira sessão seguida, com a permanência das preocupações sobre os problemas nos EUA e na Europa.

O índice composto de cem blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur, na Malásia, subiu 0,6% e fechou aos 1.563,43 pontos, ajudado por compras de papeis do setor financeiro, embora não haja fatores positivos para o mercado subir, especialmente com a Grécia influenciando na baixa da maioria das bolsas regionais. As informações são da Dow Jones .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.