Tamanho do texto

As bolsas de Nova York abriram em alta hoje, apoiadas em dados de atividade industrial da China e na expectativa de que o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Ben Bernanke, tire algum coelho da cartola na sexta-feira em Jackson Hole para estimular a economia e animar os mercados

selo

As bolsas de Nova York abriram em alta hoje, apoiadas em dados de atividade industrial da China e na expectativa de que o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Ben Bernanke, tire algum coelho da cartola na sexta-feira em Jackson Hole para estimular a economia e animar os mercados. Às 10h35 (de Brasília), o índice Dow Jones subia 0,44%, o S&P 500 tinha alta de 0,27% e o Nasdaq avançava 0,45%.

Na China, o índice HSBC de atividade industrial dos gerentes de compras (PMI) subiu para 49,8 na leitura preliminar de agosto, de 49,3 em julho.

Nos EUA, a vontade dos mercados é de acelerar a semana até sexta-feira e descobrir o que Bernanke tem a oferecer num momento de desassossego geral - seja estender os prazos dos títulos do Tesouro, promover uma nova rodada de alívio quantitativo, um QE3 (na sigla em inglês), ou outro instrumento de afrouxamento monetário.

Na Europa, a França quer ser mais austera e se prepara para anunciar amanhã mais cortes no Orçamento, num total de cerca de 4 bilhões de euros para este ano e 10 bilhões de euros em 2012. Enquanto isso, os países da zona do euro tentam achar um consenso sobre o acordo entre Finlândia e Grécia. A Finlândia quer que a Grécia forneça garantias para que haja outro resgate financeiro.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.