Tamanho do texto

Mercados foram influenciados pelos bons resultados corporativos divulgados nos EUA

As bolsas asiáticas fecharam em alta, impulsionadas principalmente pelos bons resultados corporativos divulgados nos EUA, como o da Intel , que saiu nesta terça-feira à noite.

O peso pesado HSBC liderou a alta da Bolsa de Hong Kong, com o renovado otimismo sobre a economia global, mas os ganhos se estreitaram com a cautela dos investidores no final da sessão ante a divulgação dos dados econômicos chineses nesta quinta-feira. O índice Hang Seng avançou 0,64% e fechou aos 20.560,81 pontos.

Nas bolsas da China, os ganhos foram limitados pela expectativa em relação à estreia das ações do Banco Agrícola da China, na quinta-feira. O índice Xangai Composto, índice que acompanha as ações A e B, encerrou com alta de 0,8%, fechando aos 2.470,44 pontos. O índice Shenzhen Composto ganhou 0,5%, e terminou aos 984,233 pontos.

No mercado de câmbio, o yuan se desvalorizou em relação ao dólar no final da tarde, uma vez que grandes bancos estatais compraram a moeda norte-americana em grande quantidade, em meio à especulação de que o banco central quer limitar a apreciação do yuan. O dólar era negociado no mercado de balcão, às 6h30 (de Brasília), a 6,7745 yuans, acima dos 6,7720 yuans do fechamento de terça-feira. O banco central fixou a paridade central em 6,7755 yuans, abaixo dos 6,7802 yuans da terça-feira.

Em Taipé, a Bolsa de Taiwan encerrou o dia em alta, impulsionada por ganhos regionais e com resultados positivos das empresas de tecnologia. O índice Taiwan Weighted registrou alta de 1,5% e fechou aos 7.714,51 pontos.

A Bolsa de Seul, na Coreia do Sul, fechou no seu nível de pontuação mais alto desde 18 de junho de 2008. O índice Kospi encerrou em alta de 1,3% e fechou aos 1.758,01 pontos, influenciado pelo fluxo de capital estrangeiro e pelos mercados do ocidente.

Na Austrália, a Bolsa de Sydney retomou sua recuperação, com os ganhos mais fortes que os esperados nos EUA e os sinais de que os investidores estão menos preocupados com a crise da dívida soberana europeia. O índice S&P/ASX 200 fechou em alta de 1,9%, encerrando aos 4.462,4 pontos.

A Bolsa de Manila, nas Filipinas, encerrou na maior pontuação dos últimos 30 meses, influenciada pelos ganhos dos mercados globais. O índice PSE subiu 1,1% e fechou aos 3.472,33 pontos.

A Bolsa de Cingapura teve alta, ajudada por dados econômicos melhores que o esperado e ainda suportada pelo crescimento dos mercados globais. O índice Straits Times avançou 0,8% e fechou aos 2.952,81 pontos.

O índice composto da Bolsa de Jacarta, na Indonésia, valorizou 0,7% e fechou aos 2.981,06 pontos, com estrangeiros adquirindo papéis de fabricantes de produtos de consumo e relacionadas ao petróleo na expectativa de fortes lucros no primeiro semestre.

Na Tailândia, o índice SET da Bolsa de Bangcoc subiu 0,3% e fechou aos 819,54 pontos, em sintonia com os ganhos dos mercados regionais. Ações de baixa e média liquidez dominaram as atividades, enquanto a maioria dos papéis de energia e de bancos estiveram abaixo da média do mercado. As ações de bancos já precificaram a alta de 25 pontos-base na taxa de juro que o Banco da Tailândia promoveu hoje.

O índice composto de cem blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur, na Malásia, subiu 0,6% e fechou aos 1.341,08 pontos, maior alta em dois meses, seguindo o bom desempenho nos EUA e nos mercados regionais. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.