Tamanho do texto

Objetivo é dar mais transparência ao mercado e também incentivar a concorrência entre as instituições financeiras, diz Tombini

O Banco Central lançará em setembro a primeira taxa referencial do mercado de crédito brasileiro, semelhante à taxa prime que é calculada em diversos países do mundo. A taxa, que será uma média dos juros pactuados entre as grandes instituições, será apresentada no próximo Relatório de Estabilidade Financeira, publicação semestral do BC, em meados do próximo mês. A ideia é que a divulgação seja mensal.

Segundo o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, o objetivo é dar mais transparência ao mercado e também incentivar a concorrência entre as instituições financeiras. "A taxa referencial permitirá que as demais taxas possam ser comparadas, dando maior transparência e fomentando a concorrência no sistema bancário." Tombini também avalia que o novo benchmark permitirá uma comparação com o custo do crédito a empresas de melhor risco ao redor do mundo. O presidente do BC participa do Seminário sobre Riscos, Estabilidade Financeira e Economia Bancária, organizado pelo próprio BC, em São Paulo.