Tamanho do texto

Banco Central pretende entrar na Justiça ainda este mês para recuperar dinheiro emprestado na época do Proer

O Banco Central pretende entrar na Justiça ainda este mês para cobrar as dívidas assumidas pelos bancos Nacional e Econômico, segundo o jornal "Valor Econômico". Os débitos foram assumidos na época em que foi instituído o Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Fortalecimento do Sistema Financeiro Nacional (Proer), entre 1995 e 1998.

Veja também: Bancos quebrados recebem perdão de R$ 19 bilhões em suas dívidas

No ano passado, beneficiados por uma lei aprovada em 2010, as instituições conseguiram um perdão parcial de suas dívidas. Juntamente com os bancos Mercantil de Pernambuco, Banorte e Bamerindus, o alívio do BC chegou a R$ 18,9 bilhões. Na ocasião, os bancos tiveram que concordar com algumas regras, como abrir mão de qualquer processo judicial em curso contra autarquias ou governo.

Agora, o BC deve mover ações para recuperar as dívidas do Nacional e do Econômico, que não aderiram aos critérios e cálculos do Banco Central para receber os descontos previstos por lei. O Nacional deve R$ 33,3 bilhões e o Econômico, R$ 29,1 bilhões.

Os outros bancos liquidados aderiram à proposta contida em lei. Em agosto, o Bamerindus assinou termo para parcelamento em 180 vezes de sua dívida de R$ 2,5 bilhões - com desconto. O Mercantil quitou seu débito de R$ 1,5 bilhão à vista com títulos do Tesouro Nacional, enquanto o Banorte assinou termo de parcelamento em 180 vezes de sua dívida no valor de R$ 538,20 milhões, com desconto. O Banco Central ainda analisa a opção de pagamento de parte dos débitos do banco liquidado com títulos. O Banorte deve pagar à vista, nos próximos dias, os débitos do Proer.

Leia mais: BC perdoa R$ 18 bilhões para bancos do Proer quitarem dívidas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.