Tamanho do texto

Petróleo Intermediário do Texas para entrega em fevereiro fechou cotado a US$ 99,1 em Nova York

O Petróleo Intermediário do Texas (WTI, leve) para entrega em fevereiro fechou nesta quinta-feira em baixa de 1,75%, cotado a US$ 99,1 por barril, caindo da barreira simbólica dos US$ 100, após a União Europeia (UE) anunciar que seu embargo contra a importação de petróleo iraniano não afetará as empresas do bloco com dívidas pendentes.

Ao término do pregão na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), os contratos de futuros do WTI caíram US$ 1,77 em relação ao fechamento de quarta-feira. O barril do Texas perdeu assim a barreira psicológica dos US$ 100 por barril pela primeira vez em 2012, e registrou seu preço mais baixo desde 30 de dezembro, quando fechou valendo US$ 98,83 por barril.

A cotação do WTI se viu pressionada para cima no início do dia pela situação na Nigéria, onde o sindicato NLC ameaçou suspender o bombeamento de petróleo caso o governo de Lagos não consiga solucionar a greve geral no maior produtor de petróleo da África.

No entanto, por volta do meio do pregão, os contratos futuros do WTI se apreciaram após a UE revelar que o embargo que o bloco prepara contra o Irã devido ao programa nuclear da República Islâmica não impedirá que as empresas iranianas com dívidas na Europa continuem pagando-as com petróleo.

Fontes da UE explicaram à Agência Efe que, em princípio, a exceção se aplicará unicamente àquelas companhias com dívidas já contraídas de companhias da Espanha, Grécia e Itália, os três países com maior dependência do petróleo iraniano e que disporão de um período de transição para se adaptar ao embargo.

Os contratos de gasolina com vencimento em fevereiro caíram US$ 0,03 e fecharam valendo US$ 2,73 por galão (3,78 litros), enquanto os de gasóleo para calefação para entrega no mesmo mês encerraram em baixa de US$ 0,01, negociados a US$ 3,03 por galão. Já os contratos de gás natural para entrega em fevereiro fecharam em baixa de US$ 0,08, cotados a US$ 2,69 por cada mil pés cúbicos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.