Tamanho do texto

Dados do Japão e dos EUA influenciam resultado

LONDRES - O barril do Brent para entrega em setembro fechou nesta segunda-feira em alta de 1,74%, cotado a US$ 109,91, influenciado pelos dados econômicos que ajudam os investidores a perderem o medo diante dos problemas de dívida na zona do euro e das perspectivas de crescimento global.

Apesar da estabilidade geral dos mercados, o petróleo do Mar do Norte, de referência na Europa, registrou importantes variações durante o pregão na Intercontinental Exchange Futures, de modo que o preço máximo alcançado nesta segunda-feira foi de US$ 110 e o mínimo foi de US$ 107,40.

A aparente recuperação do Japão, terceira maior economia mundial, após o terremoto seguido de tsunami de 11 de março, injetou certo otimismo depois do anúncio desta segunda-feira de que o PIB japonês não se contraiu tanto como se esperava no segundo trimestre.

Também contribuiu o fato de Wall Street subir mais de 100 pontos na abertura graças ao anúncio de que a Google comprará a Motorola Mobility. A estabilidade voltou nesta segunda-feira aos principais mercados europeus, que não perderam nem ganharam mais de um ponto graças em parte aos dados de compra de títulos da dívida pública do Banco Central Europeu.

Essa relativa estabilidade demonstra que os investidores começaram a se tranquilizar em relação à crise de dívida da zona do euro depois que, na semana passada, se atingissem níveis de pânico e instabilidade não registrados desde 2008.