Tamanho do texto

Banco inglês registrou recuo de 33% em seu lucro antes de impostos no primeiro semestre, para 2,64 bilhões de libras

selo

O banco inglês Barclays juntou-se ao grupo de instituições anunciando cortes, dizendo nesta terça-feira que seu quadro de funcionários deverá ser reduzido em 3 mil este ano. Segundo o Barclays, os cortes têm por objetivo controlar custos e melhorar a lucratividade do banco, que tinha 146.100 empregados ao final de junho. O Barclays já cortou cerca de 1.400 postos este ano.

O Barclays também anunciou seu balanço do primeiro semestre, durante o qual seu lucro antes de impostos caiu 33% em relação ao mesmo período do ano passado, para 2,64 bilhões de libras. A queda reflete o recolhimento de 1 bilhão de libras para compensar clientes que adquiriram produtos de seguro irregulares e forte queda nas receitas em sua unidade de banco de investimento.

O lucro líquido foi de 1,50 bilhão de libras, abaixo de 2,43 bilhões de libras. Os custos para cobertura de crédito ruim caíram para 1,83 bilhão de libras, de 3,08 bilhões de libras no ano passado, e a média custo em relação ao lucro, em base ajustada, melhorou para 64%.

O HSBC anunciou ontem cortes de 30 mil funcionários em suas operações globais até 2013, seguindo-se ao anúncio de demissões de outros bancos britânicos e europeus, incluindo o Lloyds Banking Group e o Credit Suisse Group, para tornar seus negócios mais eficientes e em resposta à queda na demanda por algumas de suas operações.

Os bancos de investimento, em particular, têm estado sob pressão diante de contração das receitas em suas divisões de renda fixa, moedas e commodities. O Barclays Capital, divisão de investimento, promoveu uma redução líquida de 700 empregos no primeiro semestre. Mesmo assim, no primeiro semestre, o lucro total da divisão, excluindo crédito, caiu 11% para 6,26 bilhões de libras, puxado por retração de 20% nas operações com renda fixa e commodities.

As 3 mil demissões previstas pelo Barclays incluem os postos eliminados com o fechamento de agências na Espanha, ao mesmo tempo em que a instituição pretende aumentar a sinergia do Barclays Capital e do Barclays Corporate. As informações são da Dow Jones.