Tamanho do texto

Decisão final deve sair até o fim do próximo mês; demissões podem ser ampliadas com a eliminação de 10 mil vagas, segundo fontes

selo

O Bank of America vai cortar 3.500 empregos até o fim de setembro e está trabalhando em um amplo plano de reestruturação que pode eliminar milhares de vagas adicionais, informaram pessoas com conhecimento do assunto.

Alguns funcionários já foram notificados. Executivos do banco ainda estão discutindo o tamanho dos cortes de vagas adicionais e uma decisão final deve ser tomada em setembro, mas uma fonte afirmou que provavelmente ao menos 10 mil empregos serão eliminados.

O volume corresponde a 3,5% da força de trabalho do BofA. A redução das despesas do banco faz parte de um dramático esforço de recuperação do executivo-chefe da empresa, Brian Moynihan.

O executivo está tentando aumentar os lucros do banco em meio às crescentes preocupações com a exposição à frágil economia dos EUA e com as perdas relacionadas a hipotecas e processos judiciais.

Em uma teleconferência neste mês, Moynihan disse a investidores que sua meta é reduzir as despesas em cerca de US$ 1,5 bilhão por trimestre.

O BofA e outros grandes bancos estão sob pressão dos investidores para controlar os gastos com o objetivo de contrabalançar a fraca receita, prejudicada pela desaceleração da economia e por novas regras para o setor financeiro.

No começo desta semana, o BofA anunciou a venda de sua carteira de cartão de crédito canadense para o Toronto-Dominion Bank e a saída do segmento de cartões de crédito no Reino Unido e na Irlanda.

Ontem o banco informou que Ron Sturzenegger foi nomeado diretor da unidade responsável pelos negócios de hipotecas. Outros grandes bancos globais já anunciaram planos para redução de despesas.

O HSBC Holdings vai eliminar 30 mil empregos em todo o mundo até o fim de 2013 e o Wells Fargo pretende cortar os gastos trimestrais em US$ 1,5 bilhão. As informações são da Dow Jones.