Tamanho do texto

Investidores temem que crise na Europa possa atingir instituições francesas

NOVA YORK - O nervosismo retornou a Wall Street nesta quarta-feira, levando o índice S&P 500 a uma nova queda de 4%, por preocupações de que a crise na Europa possa golpear bancos franceses e eventualmente contaminar o setor financeiro norte-americano.

O Standard & Poor's 500 teve desvalorização de 4,42%, para 1.120 pontos.

O índice Dow Jones, referência da Bolsa de Nova York, recuou 4,63%, para 10.719 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq caiu 4,09%, para 2.381 pontos.

Leia mais: Ibovespa descola do exterior e fecha em alta de 0,48%

O giro financeiro foi, novamente, marcado por fortes oscilações em meio a um elevado volume de negócios. Pelo quinto dia seguido, o Dow variou mais de 400 pontos.

"O que você está vendo é um mercado muito orientado por apostas de curto prazo", disse o vice-presidente de investimentos da North Star Investment Management, Eric Kuby, em Chicago.

Preocupações quanto à solidez dos bancos franceses, entre eles o Société Générale, motivaram uma onda de vendas de papéis bancários europeus e norte-americanos. Rumores sobre a saúde financeira do Société, negados pelo banco, provocaram uma queda de 14,7% em suas ações.

Um índice de bancos europeus cedeu 6,7% e o índice KBW de ações de bancos norte-americanos teve queda 4,9 por cento, pelo receio de um eventual contágio de uma possível crise francesa.

A ação do Bank of America recuou 10,9% e a do Goldman Sachs teve desvalorização de 10,1 por cento.

As perdas desta quarta-feira ocorreram um dia depois de o mercado ter registrado um rali devido à promessa do Federal Reserve de manter as taxas de juro próximas a zero por ao menos mais dois anos.

Por Rodrigo Campos

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.