Tamanho do texto

Instituição quer preservar capital e conversa com interessados, diz presidente. Banco anunciou captação de R$ 220 milhões em FIDC

Banco Bonsucesso conversa com eventuais sócios, diz Pentagna
Alexandre Carvalho/FotoArena
Banco Bonsucesso conversa com eventuais sócios, diz Pentagna
O banco Bonsucesso quer fechar 2011 preservando seu capital e, nesse caminho, avalia a entrada de um novo sócio. “Não temos interesse em comprar outras instituições”, disse ao iG Paulo Henrique Pentagna, presidente do Bonsucesso, quando questionado sobre uma eventual participação do banco no processo de consolidação no setor de instituições médias. “Mas estamos de olho em aportes de capital. Recebemos telefonemas de interessados do Brasil e do exterior”, conta.

Segundo ele, o banco não tem pressa, pois opera em situação confortável, e um eventual negócio pode até ficar para o ano que vem. Mas um sócio seria bem-vindo num momento não tão favorável para o segmento em que atua. “Queremos preservar nosso capital, e não nos endividar”, diz.

O Bonsucesso tem foco em crédito consignado e em empresas médias. Pentagna conta que, com o escândalo do Panamericano , os grandes bancos diminuíram o ritmo de compra de carteiras dos menores. A venda de créditos para bancos maiores e a cessão de carteiras para fundos liberam espaço no balanço para novos empréstimos, fonte que quase secou nos últimos meses.

“Quando isso ocorre, é normal que os bancos busquem outro tipo de financiamento. Ou vendem para os grandes bancos, ou para o mercado”, diz. E a melhor maneira de vender ao mercado, para o Bonsucesso, foi a emissão de mais uma parcela de Fundo de Investimentos em Direitos Creditórios (FIDC). A instituição anunciou hoje a colocação da segunda tranche de FIDC com lastro em contratos de crédito consignado, dessa vez de R$ 220 milhões. A primeira foi de R$ 200 milhões.

O lançamento faz parte de um total agendado de R$ 800 milhões. A intenção é captar mais R$ 380 milhões até o final do ano. O presidente do Bonsucesso diz que a intenção era lançar R$ 200 milhões nessa última parcela, mas a demanda foi maior e foi colocado um adicional de 10%.

Além dos FIDC’s, o Bonsucesso possui linhas de crédito para cessão de carteira de consignado com bancos parceiros e um volume de R$ 1,6 bilhão captado em depósitos a prazo, além de uma emissão externa de dívida subordinada de U$ 125 milhões, realizada em outubro passado.

Pentagna explica que a captação via FIDC é a mais adequada no momento, por preservar o índice de Basileia do banco (indicador de solvência da instituição). Para os bancos médios, além da captação de recursos, a securitização das carteiras de crédito permite retirar esses ativos de seus balanços e elevar, em alguns casos, seu índice. “Depois da operação, nossa Basileia passou de 17,5% para 18,5%.” O mínimo exigido pelo Banco Central é de 11%.

O Banco Bonsucesso está presente em todo o Brasil, com mais de 30 escritórios em todos os estados, cerca de 600 correspondentes bancários e 1.500 pontos de venda. É um dos cinco maiores bancos privados na concessão deste tipo de empréstimo para aposentados e pensionistas do INSS.

Veja mais:

Mineiros reforçam a fama de ter vocação para banqueiros

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.