Tamanho do texto

Grécia deve seguir no foco do investidor nesta jornada

O dólar iniciou a semana com alta, com a continuidade da percepção dos agentes do mercado de que a situação na Europa é grave. Por volta das 9h50, o dólar comercial subia 0,50%, cotado a R$ 1,603 na compra e a R$ 1,605 na venda.

No mercado futuro, o contrato de julho negociado na BM&FBovespa tinha valorização de 0,46%, a R$ 1,611. Na sexta-feira passada, o dólar comercial encerrou o dia com baixa de 0,80%, a R$ 1,597 na venda. Na semana, a moeda ficou estável, mas sobe 1,08% no mês.

Nesta madrugada, ao fim de uma reunião de sete horas ocorrida em Luxemburgo, os ministros das Finanças da zona do euro decidiram não liberar um empréstimo de 12 bilhões de euros à Grécia, alegando que os parlamentares gregos precisam dar antes respaldo às medidas de cortes de gastos.

O ministro das Finanças da Grécia, Evangelos Venizelos, vai receber nesta semana, em Atenas, os representantes de uma missão da União Europeia (UE), do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Central Europeu (BCE).

O ministro belga das Finanças, Didier Reynders, comentou que, se o Parlamento grego aprovar as medidas de austeridade, os ministros europeus devem concordar, no início de julho, na concessão do empréstimo.

No mercado de câmbio externo, o Dollar Index, que mede o desempenho da divisa americana em relação ao seis moedas rivais registrava um ganho de 0,41%, aos 75,29 pontos. O euro, por sua vez, declinava 0,07% ante o dólar, a US$ 1,426.

Em linha com o cenário de redução do apetite ao risco dos investidores, as commodities recuavam neste início de pregão. Minutos atrás, o Índice CRB, que mede o desempenho de matérias-primas, caía 0,57%, aos 333,55 pontos.

Nas bolsas de valores, em Wall Street, os principais índices futuros apontavam para um início de negócios em baixa. O mesmo pode ser verificado no mercado interno.

A Grécia deve seguir no foco do investidor nesta jornada, uma vez que não está prevista a divulgação de nenhum dado relevante na agenda de indicadores americana.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.