Tamanho do texto

Moeda dos EUA, apesar dos problemas, ainda é usada como referência para reservas mundiais. Dólar fechou a R$ 1,5677

O dólar subiu pelo segundo dia consecutivo ante o real nesta terça-feira, em linha com a aversão a risco no mercado internacional. Os investidores estão preocupados com sinais de fraco crescimento global e com a dívida de países europeus. A moeda norte-americana fechou em alta de 0,45%, a R$ 1,5677 para venda.

Em relação a uma cesta com as principais divisas, o dólar subia 0,26%. A moeda norte-americana perdia terreno ante outras opções tidas como mais seguras, como o franco suíço e o ouro, mas mantinha-se como opção de investimentos após o Congresso norte-americano aprovar a elevação do limite da dívida do país e evitar um default .

No Brasil, o mercado continuava a operar com liquidez um pouco menor, de acordo com operadores, diante do imposto de 1% sobre operações com derivativos, instituído na semana passada. "O mercado está com medo de que o governo venha com mais medidas sobre derivativos", disse o gerente de derivativos de um banco estrangeiro, que preferiu não ser identificado.

No lançamento do novo plano de política industrial, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse que o dólar estaria abaixo de R$ 1,50 sem as medidas do governo, e prometeu continuar agindo para frear a queda da moeda norte-americana e proteger as exportações brasileiras.

Após a adoção do imposto sobre derivativos, os estrangeiros reduziram as posições vendidas em dólar futuro e cupom cambial (DDI) abaixo de US$ 20 bilhões pela primeira vez desde 17 de junho: nesta segunda-feira, estavam em US$ 19,577 bilhões. Em 7 de julho, esse número alcançou o recorde de quase US$ 25 bilhões.

A taxa Ptax fechou a R$ 1,5656 para venda, em alta de 0,68% ante segunda-feira. O Banco Central fez dois leilões de compra de dólares no mercado à vista, um no meio e um no fim da sessão, mantendo o padrão de intervenções dos últimos quatro dias.

Veja mais:

Bolsas europeias recuam com receio sobre Itália e EUA

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas