Tamanho do texto

Fatia de investidores de outros países caiu de 37,6% para 31,4%. Diminuição era esperada por Gabrielli

A participação de estrangeiros no capital da Petrobras diminuiu no processo de capitalização da companhia - efeito que o presidente da empresa, José Sérgio Gabrielli, classificou como "esperado". A parcela de papéis da companhia em mãos de investidores no exterior recuou de 37,6% antes da operação para 31,4% após a maior oferta de ações do mundo.

A procura por papéis da Petrobras no exterior foi grande, segundo a Petrobras, mas o apetite maior no Brasil (refletindo, inclusive, o aumento da parcela do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social e a fatia apropriada pelo Fundo Soberano) diluiu a parcela dos estrangeiros no total de ações da empresa.

"Não houve sobra no Brasil, então a redução da participação dos estrangeiros, para nós, era esperada, técnica, prevista e antecipada", afirmou Gabrielli após inaugurar obras de ampliação do centro tecnológico da empresa.

Com investimentos de R$ 1,2 bilhão, a empresa inaugurou nesta quinta-feira dez novas alas no Centro de Pesquisas e Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguez de Mello (Cenpes). Cinco dos pontos de pesquisa que acabam de ser construídos serão voltados para o pré-sal, para o estudo das rochas e características presentes na nova fronteira exploratória. As outras áreas vão abrigar estudos sobre fertilizantes, petroquímica, meio ambiente, biocombustíveis e reutilização da água. As obras geraram cerca de seis mil empregos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.