Tamanho do texto

Em dia de forte volatilidade, moeda norte-americana cai 1,39% em relação ao real

A volatilidade dos mercados internacionais contaminou o dólar nesta terça-feira, com a moeda fechando abaixo de R$ 1,60 pós ter saltado acima de R$ 1,65  antes do comunicado do Federal Reserve sobre a política monetária dos Estados Unidos.

O dólar fechou a R$ 1,590 no mercado à vista, em queda de 1,39%. A mínima do dia foi R$ 1,5872, perto do fechamento, e a máxima bateu R$ 1,6580, em alta de quase 3%.

A baixa acompanhou a reação dos investidores à promessa do Fed de que os juros norte-americanos serão mantidos perto do zero até meados de 2013, pelo menos.

Em relação a uma cesta com as principais moedas, o dólar tinha baixa de 0,98% às 17h.

"A gente está a reboque do que está acontecendo no mundo inteiro", disse o consultor financeiro da Previbank DTVM, Jorge Lima. "A volatilidade é algo que há muito tempo a gente não vê, está muito forte. Extremamente forte."

O Fed não prometeu explicitamente uma nova rodada de compra de ativos, mas disse estar preparado para atuar, se necessário, para estimular ainda mais a economia.

Para alguns analistas, porém, ainda não há motivos para otimismo.

"O receio de um mundo mais deflacionário a partir do desempenho do primeiro semestre e da decisão de reduzir o déficit fiscal cortando gastos vai se instalando", afirmou em relatório o economista-chefe do Banco Fator, José Francisco de Lima Gonçalves.

PTAX fecha a R$ 1,6334

Mais cedo, perto das 12h, o dólar chegou a disparar quase 3% de forma repentina, na máxima do dia. Segundo operadores, o movimento foi isolado no Brasil e pode ter sido provocado por redução de posições vendidas por investidores estrangeiros no mercado futuro.

Na segunda-feira, os não-residentes já diminuíram a exposição a uma valorização do real em 28 mil contratos, ou US$ 1,4 bilhão. A confirmação sobre um movimento semelhante nesta terça-feira só será feira na quarta, quando a BM&FBovespa atualizar as posições dos agentes no mercado futuro.

No mercado à vista, afirmaram profissionais de mercado, ainda prevaleceu o fluxo de venda de dólares, com destaque para o comportamento dos exportadores, que aproveitam o dólar acima de R$ 1,60 para comprar reais.

"O pessoal está aproveitando. Acima de R$ 1,63, apareceu um monte de coisa para fazer", afirmou o diretor da corretora Pioneer, João Medeiros.

A taxa Ptax, por ser calculada pouco depois das 13h pelo Banco Central, não captou a queda do dólar durante a tarde e fechou a R$ 1,6334 para venda, em alta de 2,09% ante segunda-feira.

O Banco Central fez apenas uma compra de dólares no mercado à vista, no fim do dia, repetindo a atuação do dia anterior.

    Leia tudo sobre: bovespa