Tamanho do texto

Acerto garante pagamento aos 296 últimos credores do antigo banco e de empresas do grupo

selo

Um acordo assinado ontem pôs fim a uma ação contra ex-administradores e ex-controladores do Banco Bamerindus e garantiu o pagamento dos valores devidos aos 296 últimos credores do antigo banco e de empresas do grupo (Fundação Bamerindus de Assistência Social, Bamerindus S.A. Participação e Empreendimentos e Bastec Tecnologia e Serviços Ltda.).

O acordo foi assinado entre o Ministério Público do Paraná e o Fundo Garantidor de Crédito (FGC), entidade privada que opera como seguradora das instituições financeiras do País.

A partir de agora, o FGC passa a ser único proprietário e credor, começando a preparar o banco para ser vendido. O acordo ainda precisa ser homologado pelo juiz da 4.ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba.

“Isso é importante para a sociedade porque estamos resolvendo a maior insolvência bancária da América Latina ocorrida até hoje”, comemorou o advogado do FGC, Otto Steiner Junior. O acordo envolve R$ 14,4 milhões, mas foram reservados outros R$ 107,4 milhões para eventuais resultados de processos judiciais em andamento.

No ano passado, o FGC já havia destinado outros R$ 30 milhões para pagamento dos pequenos acionistas e, no início do processo, quando houve a liquidação do Bamerindus, havia entregue ao HSBC, que comprou os ativos, aproximadamente R$ 4 bilhões como valor indenizatório para os clientes.

A estimativa é que nos próximos dias todos os credores sejam pagos e a liquidação extrajudicial do Bamerindus possa ser finalmente encerrada. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.