Tamanho do texto

"Essa decisão deve ser global e não leva em conta o grande potencial do mercado brasileiro", de acordo com Jorge Hereda

A venda do banco HSBC no Brasil vai tornar o mercado bancário brasileiro ainda mais concentrado, na opinião do ex-presidente da Caixa Jorge Hereda. Apesar disso, para Hereda, atualmente secretário de Desenvolvimento Econômico da Bahia, não deve haver “nenhum problema no mercado bancário” com a decisão do banco britânico.

Mais cedo:  HSBC anuncia que pretende encerrar atividades no Brasil e na Turquia

Jorge Hereda, presidente da Caixa Econômica Federal (jan/2014)
Divulgação/Caixa Econômica Federal
Jorge Hereda, presidente da Caixa Econômica Federal (jan/2014)

“O mercado bancário brasileiro é lucrativo. Os bancos têm resultados muito bons. Portanto, isso deve ser uma decisão global que não leva em consideração o potencial do mercado brasileiro”, disse, ao participar do anúncio do plano de concessões no setor de infraestrutura, no Palácio do Planalto.

Hoje (9), o HSBC anunciou que pretende vender e encerrar suas atividades no Brasil e na Turquia, mas planeja manter uma participação nacional para atender a grandes clientes corporativos. Segundo o comunicado, o banco pretende economizar entre US$ 4,5 bilhões e US$ 5 bilhões até 2017 com o plano de reestruturação.

De acordo com o informe, o HSBC quer aumentar seus investimentos na Ásia, principalmente na China e na região da Associação de Nações do Sul Asiático (Asean), por meio da expansão do gerenciamento de ativos e de seguros com foco nos mercados emergentes.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.