Tamanho do texto

O Ibovespa interrompeu uma sequência de cinco baixas e fechou em alta de 0,5%, a 56.824 pontos, após gravitar entre a mínima de 55.933 e a máxima de 57.130 pontos

Reuters

Em setembro, o Ibovespa acumula declínio de 7,3% até o fechamento desta quarta-feira
Getty Images
Em setembro, o Ibovespa acumula declínio de 7,3% até o fechamento desta quarta-feira

O principal índice da Bovespa fechou em alta nesta quarta-feira (24), com a ampliação dos ganhos em Wall Street e de ações de varejo, em sessão também marcada por repercussão de pesquisas eleitorais e nova alta dos papéis da mineradora Vale.

LEIA TAMBÉM: Pesquisa para compra de dólar pode render economia de até 5,16%

O Ibovespa interrompeu uma sequência de cinco baixas e fechou em alta de 0,5%, a 56.824 pontos, após gravitar entre a mínima de 55.933 e a máxima de 57.130 pontos.

O volume financeiro do pregão somou R$ 6,2 bilhões, abaixo da média diária de setembro, de R$ 8,6 bilhões.

"Acabamos acompanhando Nova York, mas foi um movimento sem fundamento", disse Frederico Ferreira Lukaisus, gerente de renda variável na Fator Corretora.

Os índices de ações norte-americanos tiveram forte alta, com o Standard & Poor's 500 interrompendo uma sequência de três quedas e ficando acima de sua média de 14 dias, nível técnico importante que indica melhora no curto prazo.

Em setembro, o Ibovespa acumula declínio de 7,3% até o fechamento desta quarta-feira.

Petrobras, que costuma reagir a especulações eleitorais, recuperou-se nesta sessão, embora ainda acumulem em setembro queda ao redor de 12%. Itaú Unibanco e Bradesco também subiram.

Papel por papel

Banco do Brasil caiu após reportagem do jornal Valor Econômico de que o Fundo Soberano do país pode ter de vender ações do BB para ajudar o Tesouro Nacional.

"Nós entendemos a notícia como marginalmente negativa para o BB, embora neste momento não é possível concluir que a venda será realizada no mercado aberto. Acreditamos que a opção mais provável seria o governo vender as ações ao BNDES, que não causaria qualquer pressão sobre as ações", disse o Credit Suisse em nota a clientes.

Ações de varejo assumiram a dianteira do Ibovespa no final da sessão, após relatórios sobre o setor. O Credit Suisse afirmou que Lojas Renner deve continuar a entregar bons resultados e ganhar fatia de mercado, apesar do ambiente macroeconômico mais adverso.

O Deutsche Bank, após encontro com executivos da Natura e Hypermarcas, disse esperar que o crescimento do mercado chegará a taxas de quase 10 por cento, uma vez que a atividade econômica desacelerou.

Na ponta negativa, figuraram ações de papel e celulose Fibria e Suzano, entre outras exportadoras, em sessão de queda do dólar frente ao real, após o Banco Central mostrar desconforto com a moeda alcançando 2,40 reais ao elevar a oferta de swaps cambiais para rolagem de contratos.

    Leia tudo sobre: bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.