Tamanho do texto

Apesar de algum temor de que o arranjo fizesse a operação cair por terra, investidores estão apostando que ela vai conseguir o apoio necessário de acionistas para avançar

Reuters

As ações da portuguesa Portugal Telecom chegaram a disparar 4% no pregão, com investidores apostando que a assembleia geral de acionistas agendada para esta segunda-feira (8) vai dar o aval necessário para a fusão com a brasileira Oi.

"Vai haver a assembleia e há expectativa que a fusão seja firmada, siga em frente. Já há duas sessões que a Portugal Telecom vinha consolidando esta alta", afirmou Paulo Rosa, operador da GoBulling, no Porto.

"A Portugal Telecom tinha sido muito penalizada com a questão da Rioforte e com o temor, a certa altura, de que o próprio negócio estaria em xeque. Agora, havendo a expectativa que este, afinal, siga em frente, a ação se recupera", explicou.

Em julho, a Rioforte, holding da família Espírito Santo que pediu proteção contra credores, descumpriu o pagamento de quase € 900 milhões (US$ 1,2 bilhão) em notas promissórias que devia à Portugal Telecom.

A Rioforte não reembolsou tais instrumentos de dívida, obrigando à revisão do acordo de fusão da Portugal Telecom com a brasileira Oi. A participação da portuguesa na empresa conjunta, a CorpCo, foi reduzida para 25,6% ante 38% anteriormente.

Apesar de algum temor de que o arranjo fizesse a operação cair por terra, investidores estão apostando que ela vai conseguir o apoio necessário de acionistas para avançar.

"A este ponto, pela forma como o negócio está estruturado, é melhor que os acionistas da Portugal Telecom votem para ele, já que isto lhes permitirá adquirir participação direta na nova empresa", disse Allan Nichols, analista sênior da Morningstar Equity Research.

Paulo Rosa, da GoBulling, disse que a Oi e a Portugal Telecom "estão umbilicalmente ligadas" e que a ação da Oi tem subido significativamente, o que também ajuda a alta da ação da empresa portuguesa nesta segunda-feira. "Desde 25 de agosto, a ação da Oi soma ganhos de mais de 30%", acrescentou.

Por sua vez, Albino Oliveira, analista da Fincor, em Lisboa, apontou o fato de a ação ordinária da Oi ter fechado com alta de 6,4% na sexta-feira (5).

"Ainda não é certo que o negócio tenha o 'ok', mas a expectativa que isso aconteça está tendo o seu peso. Penso, contudo, que este é um movimento que acompanha a alta da Oi da última sessão", disse.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.