Tamanho do texto

O Ibovespa marcou 60.800 pontos e o volume financeiro da sessão somou R$ 8,83 bilhões no pregão desta quinta-feira (4)

Reuters

A Bovespa sucumbiu à realização de lucros nesta quinta-feira (4) e fechou no vermelho.

O foco político limitou inclusive o efeito de notícias externas, como o corte de juros pelo Banco Central Europeu (BCE)

O Ibovespa encerrou em baixa de 1,68%, a 60.800 pontos. O volume financeiro da sessão somou R$ 8,83 bilhões.

Os papéis das estatais Banco do Brasil, Petrobras e Eletrobras, que têm refletido a dinâmica eleitoral, recuaram, com investidores aproveitando as pesquisas para embolsar os fortes lucros contabilizados no ano.

Os papéis do Banco do Brasil tiveram a maior queda desde 21 de maio, enquanto as ações da Petrobras tiveram o maior declínio desde 13 de agosto.

A ação do BB acumula alta de cerca de 50% em 2014, enquanto os papéis da Petrobras têm valorização ao redor de 40% e a preferencial da Eletrobras, de 35%.

Desempenho

As ações da CCR e Ecorodovias reagiram negativamente à decisão do Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, que manteve uma determinação anterior que revogou as medidas liminares sobre pedágios em São Paulo.

A BRF também recuou, um dia após confirmar acordo para vender suas unidades e marcas de lácteos para a Parmalat S.p.A. por R$ 1,8 bilhão. A notícia foi bem recebida, mas jornais haviam já antecipado na véspera, quando o papel subiu 1,44%.

As ações da Vale voltaram ao terreno negativo, após nova queda nos preços do minério de ferro. O BTG Pactual cortou a recomendação do ADR da mineradora para "neutra", citando redução da confiança na dinâmica de preços do minério e mudança do cenário eleitoral.

Leia também : Brasil capta US$ 1,05 bilhão com a reabertura de bônus Global 2025

Fibria, Suzano e Klabin foram destaque na ponta positiva, em meio à notícia de que a líder europeia na produção de celulose de eucalipto Ence fechará seu deficitário negócio de celulose no complexo industrial de Huelva, na Espanha.

Os papéis da Gol também figuraram entre os maiores ganhos. O Morgan Stanley elevou a recomendação da ADR da empresa para "overweight" (acima da média do mercado) e o preço-alvo para 8,2 dólares.

    Leia tudo sobre: Bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.