Tamanho do texto

O índice japonês Nikkei fechou em queda de 1,09%

Reuters

Imagem postada em site militante em 14/6 parece mostrar membros do EIIL com soldados iraquianos à paisana capturados após tomada de base em Tikrit, Iraque
AP
Imagem postada em site militante em 14/6 parece mostrar membros do EIIL com soldados iraquianos à paisana capturados após tomada de base em Tikrit, Iraque

A maioria dos mercados acionários da Ásia enfrentou turbulências nesta segunda-feira (16), uma vez que o petróleo ampliou os ganhos e testou máximas de nove meses por temores de que a insurgência no Iraque poderia se espalhar, afetando as exportações de petróleo.

"O principal fator em jogo no momento é uma escalada das preocupações sobre o Iraque e como isso está elevando os preços de energia", disse o estrategista de mercado do IG, Stan Shamu, em uma nota para clientes.

- Milícia no Iraque divulga fotos de supostas execuções em massa de soldados

Insurgentes sunitas tomaram uma cidade de etnia turcomana no Iraque no domingo, enquanto os Estados Unidos aumentaram a segurança para sua equipe diplomática em Bagdá e afirmaram que alguns funcionários foram retirados da embaixada.

Às 7h40 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão recuava 0,09%, afastando-se da máxima de três anos alcançada há uma semana.

O índice japonês Nikkei fechou em queda de 1,09%, a uma mínima de duas semanas, pressionado por temores de custos mais altos de materiais.

O índice de Xangai subiu 0,7%. Alguns bancos chineses listados foram qualificados a uma redução na taxa de compulsório, anunciada pelo banco central do país na semana passada, disseram executivos do setor bancário nesta segunda-feira.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.