Tamanho do texto

Índice Nikkei encontrou um apoio sólido perto de 14.200 pontos e se recuperou, fechando em alta de 1,0%

Reuters

Homem caminha diante de tela exibindo preços das ações em Tóquio
Reuters
Homem caminha diante de tela exibindo preços das ações em Tóquio

As ações asiáticas mostraram inconstância nesta quinta-feira (27) após um fechamento fraco em Wall Street e em meio a tensões latentes sobre a Ucrânia, enquanto as ações chinesas de tecnologia caíram acompanhando as dos Estados Unidos.

O volume foi magro e inconstante com o final do mês e do trimestre se aproximando rapidamente. As ações de Tóquio caíram inicialmente conforme investidores faziam uma contagem regressiva para o aumento no imposto sobre as vendas que, segundo expectativas, vai esfriar o gasto de consumidores e testar a fé do mercado nas políticas econômicas do primeiro-ministro Shinzo Abe.

Mas o índice Nikkei encontrou um apoio sólido perto de 14.200 pontos e se recuperou, fechando em alta de 1,0%.

Alguns culparam notícias de que os Estados Unidos e a União Europeia concordaram em trabalhar juntos para preparar possíveis sanções econômicas mais duras em resposta às ações da Rússia na Ucrânia pela queda de Wall Street.

Veja também: Crescimento do setor privado nos EUA acelera em março, mostra PMI

As perdas no setor de tecnologia dos EUA assustou o setor na China, onde a peso-pesado do índice, a Tencent, perdeu 6%, atingindo o menor nível em seis semanas.

Às 7h57 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão avançava 0,12%, com pouca alteração, como a maioria das outras bolsas na região.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.