Tamanho do texto

Moeda americana subiu 0,10%, a R$ 2,3084 na venda; giro financeiro ficou em torno de US$ 1,8 bilhão

Num dia de atuação extraordinária do Banco Central, o dólar interrompeu quatro sessões de quedas consecutivas e fechou em alta ante o real, com investidores buscando entender a estratégia da autoridade monetária, sob a suspeita de que o nível de R$ 2,30 pode se firmar como um piso para o câmbio neste momento.

-Leia também: crescimento do setor privado nos EUA acelera em março, mostra PMI

A moeda americana subiu 0,10%, a R$ 2,3084 na venda, após chegar a R$ 2,2926 na mínima do dia. Segundo dados da BM&F, o giro financeiro ficou em torno de US$ 1,8 bilhão.

No início da sessão, o BC vendeu apenas 2,4 mil swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares, da oferta diária de 4 mil, com volume equivalente a US$ 118,9 milhões.

Nos últimos quatro pregões, o dólar acumulou desvalorização de 1,82%
Reuters
Nos últimos quatro pregões, o dólar acumulou desvalorização de 1,82%

Com isso, o dólar anulou a queda e passou a subir, batendo na máxima de R$ 2,3207 na venda. Boa parte dos especialistas interpretou a intervenção como sinal de que o BC não estaria confortável com a moeda americana abaixo de R$ 2,30, que também prejudicaria as exportações.

Nos últimos quatro pregões, o dólar recuou ante o real, acumulando desvalorização de 1,82% no período, movimento estimulado pelo quadro de maior otimismo nos mercados internacionais e ingresso de recursos no Brasil.

Logo em seguida, no entanto, o BC anunciou outro leilão de swap cambial tradicional para ofertar justamente o montante que ficou de fora em sua ração diária: 1,6 mil contratos.

Na operação extraordinária, vendeu a oferta integral, todos com vencimento em 1º de dezembro deste ano e volume equivalente a US$ 79,1 milhões. O BC também ofertou swaps para 1º de outubro, mas não vendeu nenhum.

Após a operação, o dólar passou a oscilar entre a estabilidade e leves altas, à medida que investidores tentavam decifrar as intenções da autoridade monetária.

O mercado já questionava o patamar de R$ 2,30 devido a indicações de que o BC pode não rolar todos os swaps que vencem na próxima terça-feira (1º) no valor equivalente a US$ 10,148 bilhões. Ainda faltam cerca de 75 mil contratos para serem rolados e o BC tem apenas três dias úteis para fazê-los. Mantendo o atual ritmo de oferta, seriam colocados apenas 30 mil.

Para esta sessão, o BC vendeu toda oferta de 10 mil contratos, já rolando um pouco menos de 65% do lote total.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.